0
Compartilhamentos
Redefinição de Impressão Google+

Um usuário fez uma declaração inusitada à Biblioteca Central da Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UNIRIO). Numa mensagem publicada no Facebook nesta quarta-feira, 12, dia dos namorados, o doutorando em Artes Cênicas Leidson Ferraz disse estar “num caso de amor profundo com a Biblioteca da UNIRIO”, localizada no bairro da Urca, Zona Sul do Rio.

“Doutorando no Rio de Janeiro há exatos três meses e aproveitando que hoje é o Dia dos Namorados, eu confesso: tô num caso de amor profundo com a Biblioteca da UNIRIO. Afinal, prestes a completar 41 anos em novembro deste ano, esta garota-instituição sempre me recebe de braços abertos e está cheinha de livros raros no acervo (são mais de 40 mil exemplares), além de programas de espetáculos, banco de textos teatrais, dissertações, teses, periódicos e partituras musicais. Pronto, não preciso de mais ninguém no meu pé para esta temporada por aqui”, disse.

“O mais interessante foi que eu saí da Biblioteca às 20h15 [desta quarta-feira, 12] e como a Biblioteca estava cheia eu comentei em tom de brincadeira: quanta gente sem namorado… eu não sabia que estavam todos namorando…”, disse em tom de humor Marcia Valeria, bibliotecária e diretora da instituição. Segundo ela, toda a equipe da Biblioteca ficou muito feliz com a “declaração de amor” feita pelo usuário.

A “declaração de amor” do usuário à Biblioteca aconteceu nesse dia dos namorados. Reprodução do Facebook

Procurado pela Biblioo, Leidson explicou que uma das coisas que lhe motivou a fazer a declaração de amor à Biblioteca é o bom atendimento dos funcionários, “dos vigilantes que nos recebem até as bibliotecárias e a direção da casa”, além do acervo “que é realmente um oásis para quem, como eu, pesquisa o teatro”, disse o usuário.

“E aqui me refiro não só aos livros, mas ao banco de textos e programas de espetáculos também. Gosto bastante ainda da informalidade com que nos atendem, sem muita burocracia para o empréstimo dos livros e a renovação. Me sinto bem por lá e isso me estimula a renovar toda semana minhas leituras. Há obras muito raras ali”, explicou o doutorando que é natural de Recife (PE) e está no Rio em função dos estudos.

A Biblioteca Central da UNIRIO é a responsável por coordenar técnico e administrativamente o Sistema de Bibliotecas da instituição, que foi fundado em 1986, com o objetivo de dotar as bibliotecas setoriais da universidade de padrões que atendessem às exigências da Rede Bibliodata, coordenada pela Fundação Getúlio Vargas (FGV), 1º rede de catalogação cooperativa do Brasil.

Aberto ao público em geral, seu acervo é representado por obras da literatura brasileira e estrangeira, psicologia, legislação, história e teses. Parte destas obras compõe a Biblioteca Infanto-Juvenil (BIJU), organizada para atender ao público em geral. Possui ainda uma coleção de obras raras e especiais, onde se destaca a Coleção Shakespeariana.

Cursos online de qualificação em Biblioteconomia e Ciência da Informação. Acesse!

Comentários

Comentários

Postagem anterior

Bibliotecários do Rio e de São Paulo decidem aderir à greve geral deste dia 14

Próximo post

O perverso reflexo do racismo na literatura brasileira