Tag de Posts

Bibliotecas-parque

Quando políticos se valem das bibliotecas para fazer politicagem

O acordo prevê o repasse de 1 milhão e meio mensais até o final de 2016

Com todos os investimento feitos e recém-inauguradas, a BPEs correm o risco de fechamento

Diferentemente do que foi publicado na nota “Sem dinheiro, Rio de Janeiro é autorizado a captar R$ 5,4 mi para manter bibliotecas-parque”, sobre a captação via lei Rouanet de R$ 5.437.760 para a manutenção das instalações, não é a administração estadual e, sim, o Instituto de Desenvolvimento e Gestão (IDG), contratado pela Secretaria estadual de Cultura, que fará a captação dos recursos.

Outubro é o mês das crianças e todas as unidades da rede de Bibliotecas Parque, espaços da Secretaria de Estado de Cultura, prepararam uma programação infantil dedicada especialmente a elas.

A pressão feita pela sociedade civil organizada em torno do Movimento Abre Biblioteca Rio parece ter começado a surtir efeito. Em nota, a Assessoria de Comunicação Social da Secretaria de Estado de Cultura do Rio informou que a partir de hoje (23) todas as unidades da rede de Bibliotecas-Parque (Centro, Manguinhos, Rocinha e Niterói) receberão o público das 11h às 18h30, de terça a sábado. Antes ia de 12h às 18h30.

Dentre as conquistas mais importantes alcançadas pelo Abre Biblioteca Rio, que reivindica, entre outras coisas, a ampliação do horário de atendimento das Bibliotecas-Parque do Estado do Rio (BPEs), está o compromisso assumido por parlamentares do estado com as causas do movimento.

As bibliotecas parque do Rio, assim como as universidades federais, estão passando por algumas dificuldades e um período de incerteza perante a crise. Diante dessa situação, bibliotecários estão se mobilizando, criaram o Movimento Abre Biblioteca Rio

Para tentar impor uma pressão sobre as autoridades responsáveis por estes espaços no estado do Rio, os bibliotecários estão iniciando uma bela mobilização, criando uma extensão carioca do Movimento Abre Biblioteca, iniciado há alguns anos no estado do Amazonas.

O corte de verbas no governo do Estado afetou diretamente a Cultura. As Bibliotecas-Parque, projeto que era a menina dos olhos da gestão Sérgio Cabral sofreu readequações esta semana. Desde o dia 14, anúncios afixados nas paredes das unidades Rocinha, Manguinhos, Niterói e Centro avisavam os novos horários: de terça a sexta das 12h às 18h30, antes o horário era de terça a domingo, das 10h às 20h e flexível para projetos das comunidades.