0
Compartilhamentos
Redefinição de Impressão Google+

Diversas entidades se unem para ocupar a Praça Cinelândia, no Centro do Rio, hoje. Ato acontece depois do sucesso de evento similar em 16 de julho e com adesão cada vez maior ao movimento grevista dos servidores públicos federais.

Em semana crucial para as lutas dos servidores federais, o Comando Estadual de Greve dos estudantes, docentes e técnicos do Rio de Janeiro planeja outra grande ocupação na Cinelândia.

UFRJ na praça; Foto: Renato Silva
UFRJ na praça; Foto: Renato Silva

O evento vai seguir os moldes do último “UFRJ na Praça”. Na ocasião, mais de 12 tendas foram montadas para abrigar um festival de dia inteiro que contou com grande participação da população e da comunidade acadêmica.

Dessa vez os grevistas se juntarão a outros trabalhadores em greve: servidores do judiciário federal (FENAJUFE), da saúde (FENASPS), da previdência (CNTSS), da rede federal de educação profissional e tecnológica (SINASEFE), da FIOCRUZ (ASFOC).

O movimento também tem o apoio dos servidores em greve do Incra, Ibama, Funasa, Iphan, Dnocs e ministérios do Trabalho e Emprego, da Saúde e da Agricultura

A programação que começou às 10h contará com rodas de conversa, aulas públicas, sarau e oficinas de cartazes e percussão.

A greve

A greve dos servidores públicos federais de diversas instituições já dura mais de oitenta dias. Os servidores pedem um aumento de 27,3% para o ano que vem, para repor as perdas salariais desde 2010. Por outro lado, o governo oferece um reajuste de 21,3% nos próximos quatro anos, e entende que as perdas já foram compensadas desde 2003.

Entre os servidores do Executivo, estão em greve os servidores do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS), os professores universitários, os servidores técnico-administrativos das instituições federais de ensino superior, os servidores dos institutos federais e os servidores da Fiocruz.

Cursos online de qualificação em Biblioteconomia e Ciência da Informação. Acesse!

Comentários

Comentários

Postagem anterior

Clássico de Graciliano Ramos ganha versão em HQ

Próximo post

Apenas 15% das escolas públicas do Piauí contam com bibliotecas

Sem comentários

Deixe uma resposta