0
Compartilhamentos
Redefinição de Impressão Google+

Da Agência Brasil

A Rússia mandou retirar das bibliotecas escolares e universitárias de todo o país os livros dos reconhecidos historiadores britânicos John Keegan e Antony Beevor, alegando que as obras destes autores promovem os estereótipos da época do regime nazista, divulgou hoje (5) uma porta-voz oficial.

John Keegan e Antony Beevor. Foto: Martin Pope/Geoff Pugh
John Keegan e Antony Beevor. Foto: Martin Pope/Geoff Pugh

Em decreto assinado pelo Ministério da Educação regional de Sverdlovsk, as autoridades russas pedem às bibliotecas para “verificarem a disponibilidade dos livros [dos historiadores britânicos] para tomar medidas para remover [as obras] do acesso de estudantes e professores”.

Os autores John Keegan (falecido em 2012) e Antony Beevor são historiadores de renome internacional, cuja obra é focada na história militar, em particular na época da Segunda Guerra Mundial (1939-1945).

As obras deles, especificamente o sucesso literário de Antony Beevor Berlim: A Queda, 1945, têm sido criticadas na Rússia por focar as atrocidades cometidas durante os avanços do Exército Vermelho russo até a capital alemã.

As autoridades regionais de Sverdlovsk afirmaram que os livros desses historiadores, sem citar uma obra específica, “propagam estereótipos formados durante a época do terceiro reich”, segundo uma cópia digitalizada do decreto publicada em um site de notícias local.

Em declarações à agência francesa AFP, a porta-voz do governador regional, Yulia Voronina, confirmou a existência do decreto, acrescentando que as bibliotecas do país estão sendo inspecionadas.

Em comunicado enviado à AFP, as autoridades administrativas daquela região russa afirmaram que “muitos historiadores acreditam que livros de autores como John Keegan e Antony Beevor têm uma interpretação errada sobre os acontecimentos da 2ª Guerra Mundial, contradizem documentos históricos e são inspirados em estereótipos da propaganda nazista”.

A Rússia intensificou neste ano a campanha contra as influências ocidentais.

Segundo o decreto do ministério, os livros de John Keegan e Antony Beevor foram publicados na Rússia pela Fundação Open Society, do bilionário e filantropo norte-americano George Soros.

Em julho, a Câmara Alta do Parlamento russo (Conselho da Federação Russa) elaborou uma lista de organizações “indesejáveis” recomendadas para proibição. A Fundação Open Society de George Soros integra a lista.

Cursos online de qualificação em Biblioteconomia e Ciência da Informação. Acesse!

Comentários

Comentários

Postagem anterior

Ministro da Cultura participa de bate papo com agentes culturais na Baixada Fluminense

Próximo post

Mestrado profissional em Preservação de Acervos de Ciência e Tecnologia

Sem comentários

Deixe uma resposta