0
Compartilhamentos
Redefinição de Impressão Google+

A biblioteconomia dispõe de tantas vertentes, que às vezes não sabemos até onde vai o alcance dessa área tão vasta. O universo das histórias em quadrinhos é uma dessas áreas que a biblioteconomia abraça.

Além de motivar os leitores iniciantes, contando com a ajuda de imagens para transmitir a mensagem desejada, a história em quadrinhos é forte em difundir ideologias.

Waldomiro Vergueiro, professor da Universidade de São Paulo (USP) e conhecido por seus livros a respeito de Formações de Coleções, é também coordenador do Observatório de Histórias em Quadrinho (NPHQ) e professor da disciplina Leituras Críticas em Histórias em Quadrinhos.

O Observatório reúne diversas publicações de estudos e pesquisas sobre o tema, bem como eventos na área, links interessantes e a Revista Agaquê, uma publicação eletrônica especializada em Histórias em Quadrinhos (HQs) e temas correlatos. Para os bibliotecários que gostam de HQs, esse é um tema de pesquisa que é prato cheio.

Fica também a sugestão de aquisição desses, que além de ter conteúdo, muitas vezes, são responsáveis por atrair o público que tem certa “preguiça” de ler, e são publicações que, quando expostas, chamam a atenção.

Os Romances Gráficos (Graphic Novels) também chegam junto, com histórias incríveis, de biografias à história mundial, críticas ideológicas e ficções. Alguns já fizeram sucesso a ponto de virar filme, como Persépolis (li e recomendo), que é a autobiografia de Marjane Satapri, que viveu sua infância e adolescência durante a Revolução Islâmica, no qual tudo é contado com uma visão altamente crítica e interessante. V de Vingança, Sin City, Scott Pilgrim, Asterix e Tintin são outros exemplos que viraram filmes.

Um paradigma enfrentado por muitos bibliotecários é o de que os Quadrinhos são para crianças. Muitos são, mas, os romances gráficos abrangem o público adulto principalmente.

Recomendo que apliquem o incentivo a essas leituras em suas bibliotecas e que, se possível, também leiam! É um universo fantástico que tem intrigado cada vez mais os pesquisadores e leitores.

Finalizando, deixo a sugestão de autores como Frank Miller, Will Eisner, Neil Gaiman e Alan Moore.

Segue o link do Observatório de HQs:

https://www.eca.usp.br/nucleos/nphqeca/nucleousp/agaque.asp

 

Cursos online de qualificação em Biblioteconomia e Ciência da Informação. Acesse!

Comentários

Comentários

Postagem anterior

Pessoas deficientes, pessoas sonhadoras e um Biblioburro

Próximo post

Charge Edição 10

Sem comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *