1
Compartilhamentos
Redefinição de Impressão Google+

No dia 08 de março se comemora o dia internacional da mulher. Em função disso, diversas bibliotecas e museus preparam programações especiais para lembrar a data. A Biblioo preparou uma lista com algum das atividades. Confira:

1) Biblioteca Infantil Monteiro Lobato. Endereço: Praça Almeida Couto, s/n – Nazaré Salvador/BA – CEP 40.050-470 – Tel. (71) 3117-1570 / 1433. E-mail: biml.fpc@fpc.ba.gov.br

A Biblioteca promove um “Bate Papo Menina Mulher”, dia 8, das 9h às 11h e das 14h às 16h, na. Na ocasião, haverá troca e aprendizado entre meninas e mulheres de Salvador, que conversarão sobre temas como “Profissões e mercado de trabalho para as jovens” e “A força das mulheres na sociedade”. A atividade é focada no público infanto-juvenil e serão realizadas rodas de diálogos e oficinas com convidadas especiais.

2) Biblioteca dos Barris. Endereço: Rua Gen. Labatut, 27 – Barris, Salvador – BA, 40070-100 -Telefone: (71) 3117-6000

No dia 9, de 10h30 às 12h e de 14h às 15h30, será realizado o Bate papo “O tapinha que dói: questões sobre a violência contra a mulher”. A atividade será coordenada pelo Centro de Referência de Atendimento a Mulher em Situação de Violência e pela Casa de Acolhimento Provisório de Curta Duração Irmã Dulce, com a presença de Maria Auxiliadora Almeida Alves, em um bate-papo com o público jovem sobre relações entre homens e mulheres, machismo, violência e intolerância, dentre outras questões femininas.

3) Museu do Futebol. Endereço: Praça Charles Miller, S/N São Paulo, SP

“Respeita a Moça” (04/03, entre 14h e 15h30), “Mulheres de Ouro” (05/03, entre 14h e 15h30) e “Mulheres de Expressão” (18/03, entre 14h e 15h30) são algumas das atividades que os visitantes do Museu poderão participar enquanto visitam a exposição e descobrir mais a respeito de algumas personalidades femininas que lutaram e representam as mulheres, dentro e fora de campo, por igualdade de direitos e de oportunidades.

4) Fundação Casa de Rui Barbosa. Endereço: R. São Clemente, 134 – Botafogo, Rio de Janeiro – RJ, 22260-000 – Telefone: (21) 3289-4600

A atividade promovida pelo Centro de Memória e Informação da Fundação Casa de Rui Barbosa faz parte de uma programação quinzenal chamado Conversa Literária. A estreia, no dia 8, às 15 horas, tem como tema “A mulher na literatura”, em homenagem ao dia internacional da mulher.

5) Biblioteca Comunitária Chocolatão. Endereço: Rua da Cruz, 5 – Ilha Grande dos Marinheiros – Porto Alegre/RS e Biblioteca Comunitária Arquipelágo. Endereço: Rua Mario Juarez de Oliveira, 261 – Vila Nova Chocolatão – Porto Alegre/RS

Os cortejos literários foram criados com o intuito de divulgar o trabalho das bibliotecas nas comunidades onde elas atuam. É uma forma de movimentar e de enraizamento comunitário. Neste mês, os cortejos são com poemas de mulheres, buscando divulgar mais estas escritoras, principalmente as negras e de periferia como forma de valorização da produção cultural feminina e de empoderamento para as mulheres e meninas das comunidades. Os cortejos serão realizados no dia 8, às 15h, com leitores percorrendo as ruas da comunidade lendo e distribuindo poemas de autoria feminina para os moradores.

6) Biblioteca Comunitária do Centro Cultural Rosa Luxemburgo. Endereço: Cidade Nova V WE 26, nº 262, Ananindeua, Belém, PA

O sarau de músicas e poesias consistem em um evento que tem como foco denunciar qualquer forma de violência cometida contra a mulher e também para mobilizar e sensibilizar a comunidade local a lutar contra esse tipo de violência. Um evento de manifesto contra a reforma da previdência,  que tem retirado direitos de trabalhadores,  que as mulheres são as mais atingidas.  Uma ação que enfatiza o Dia 8 de março como dia de luta, pois o Brasil ainda tem altos índices de feminicidio,  misoginia. Um dia para lutar com cultura: leitura, dança, música, literatura e poesia para a igualdade e respeito as mulheres.

Cursos online de qualificação em Biblioteconomia e Ciência da Informação. Acesse!

Comentários

Comentários

Postagem anterior

Bibliotecários criam mobilizações em prol das bibliotecas públicas

Próximo post

Violência de gênero na biblioteca: o caso Virgínia Woolf

Sem comentários

Deixe uma resposta