0
Compartilhamentos
Redefinição de Impressão Google+

Por Antonio Junior, do site Carnavalesco.

A mensagem que a Mocidade Independente de Padre Miguel promete passar no seu desfile deste ano é amplamente debatida por toda a sociedade: a educação como o caminho para se construir um Brasil melhor. Portanto, nada mais justo do que homenagear os grandes responsáveis por transmitir cultura e educação para o nosso povo. Longe do reconhecimento que se espera por parte do poder público, os professores serão os grandes homenageados no enredo “O Brasil de La Mancha: Sou Miguel, Padre Miguel. Sou Cervantes, Sou Quixote Cavaleiro, Pixote Brasileiro”, desenvolvido pelos carnavalescos Alexandre Louzada e Édson Pereira.

Mas a história de como o enredo da Mocidade foi pensado e criado para o carnaval de 2016 merece destaque, afinal, a ideia de juntar educação e samba foi de um professor. André Luís Júnior, que é professor universitário e de escolas das redes pública e particulares, foi julgador de enredo nos últimos dois carnavais e como para o desfile de 2016, não fará parte do time de jurados, foi convidado pela Mocidade para analisar o enredo que chegou a ser divulgado como o que iria para a Avenida esse ano, o “#ALendaImaginação”.

Professor André Luís Júnior. Foto: carnavalesco.com.br.
Professor André Luís Júnior. Foto: carnavalesco.com.br.

Em entrevista ao site Carnavalesco, André revelou que fez o trabalho de consultoria e aprovou o enredo, mas logo na sequência sugeriu aos carnavalescos e à direção da escola uma ideia que há alguns anos ele já imaginava como enredo. Unindo a proposta de reformular o país através da educação com o ano em que se comemoram os 400 anos de Miguel de Cervantes, autor de Dom Quixote, o professor e ex-jurado sugeriu o que hoje se conhece como o enredo da escola.

– A ideia é a de um Dom Quixote professor, que troca suas lanças e escudos por canetas e livros, buscando fazer com que os seus alunos pixotes vençam na vida através da educação, afinal, só ela é o caminho.

A convite da diretoria da Verde e Branca da Zona Oeste, André escreveu ao lado de Louzada o enredo da agremiação e teve a oportunidade de ir à Espanha em abril de 2015 para conhecer melhor o país, a história de Cervantes e enriquecer o enredo da Mocidade.

– Fui à Espanha por um convite da diretoria para ter mais contato com a história e a obra de Cervantes. Nosso desfile vai passear pela história do Brasil, com o nosso Dom Quixote tentando apagar as manchas históricas e políticas que nós temos, como a ditadura e a corrupção. E no fim, a ideia é de uma grande mensagem de esperança através da educação.

E essa mensagem de esperança será a grande coroação dos companheiros de profissão de André. Uma das alas que encerram o desfile será formada em sua maioria por professores das redes municipal e estadual do Rio de Janeiro.

– Nada mais justo do que ter, na ala que representa este grande professor Quixote, os nossos professores. Eles são nossos verdadeiros heróis do dia a dia e não tem o reconhecimento que deveriam por parte dos nossos governantes. Então essa é uma maneira de homenagear essas pessoas, que tanto lutam por um futuro melhor para as nossas crianças e jovem deste Brasil.

Com o enredo “O Brasil de La Mancha: Sou Miguel, Padre Miguel. Sou Cervantes, Sou Quixote Cavaleiro, Pixote Brasileiro”, escrito pelo professor André Luís Júnior e pelo carnavalesco Alexandre Louzada, a Mocidade Independente será a quinta escola a desfilar, no domingo de carnaval, na Marquês de Sapucaí.

Cursos online de qualificação em Biblioteconomia e Ciência da Informação. Acesse!

Comentários

Comentários

Postagem anterior

Carol, de Patricia Highsmith

Próximo post

Modernização desafia Biblioteca Nacional de Moçambique 55 anos após fundação

Sem comentários

Deixe uma resposta