0
Compartilhamentos
Redefinição de Impressão Google+

Por Assessoria de Comunicação Social, da Secretaria de Estado de Cultura do Rio de Janeiro.

Escritores e profissionais do setor audiovisual ganharam nesta quarta-feira (21/10) dois grandes estímulos para a criação de novas obras com o lançamento do Prêmio Rio de Literatura e do Edital Elipse – Programa Estadual de Fomento ao Curta Universitário, projetos criados pela Secretaria de Estado de Cultura [do Rio de Janeiro], em parceria com a Fundação Cesgranrio. Juntas, as duas iniciativas somam recursos de R$ 360 mil para os contemplados.

Numa ação inédita de estímulo à criação literária nacional e, especialmente, a fluminense, o Prêmio Rio de Literatura irá contemplar três obras em duas modalidades. Na modalidade Obras Publicadas, podem concorrer edições lançadas entre janeiro de 2014 e setembro de 2015, nas categorias Ficção e Ensaio.

Os autores dos livros selecionados serão premiados, cada um, com R$ 100 mil. Já na categoria Novo Autor Fluminense, o ganhador receberá R$ 10 mil, e terá publicados mil exemplares de sua obra, que serão doados ao autor e distribuídos para bibliotecas públicas e comunitárias do estado.

A Secretária de Estado de Cultura, Eva Doris Rosental, destacou a importância da parceria com a Fundação Cesgranrio e ressaltou que o prêmio reafirma a vocação literária da cidade:

“A Cesgranrio é uma instituição de extrema importância tanto na difusão da cultura quanto da educação, não só no Rio de Janeiro, mas no país. O prêmio faz jus ao estado, porque temos aqui a sede da Academia Brasileira de Letras e a Biblioteca Nacional, além de grandes universidades. Hoje, lançamos um prêmio à altura do que a produção literária do nosso estado merece”, disse a Secretária, que será uma das curadoras das obras selecionadas, ao lado dos escritor Arnaldo Niskier, do acadêmico Marcos Vilaça, do professor de Literatura e também escritor Italo Moriconi, da autora e pesquisadora Beatriz Resende e de Carlos Alberto Serpa, presidente da Fundação Cesgranrio.

Durante o lançamento, Serpa ressaltou a parceria com a SEC:

“Hoje é o dia em que os sonhos se tornam realidade. É uma parceria perene. Os dois projetos estão saindo do campo do imaginário através do esforço e do trabalho de equipes que refletem sobre a educação e a cultura no país e o Rio estava precisando mostrar o devido valor nessas áreas de produção cultural”, afirmou o presidente da Fundação Cesgranrio.

Antes do anúncio do vencedor da categoria Novo Autor Fluminense, a SEC vai publicar uma lista com os 20 finalistas, um estímulo a mais para o reconhecimento de uma nova geração de autores e de narrativas, como avalia a Superintendente da Leitura e do Conhecimento, Vera Schroeder:

“O estado do Rio precisava há tempos de um prêmio com essa envergadura, que reconhece o potencial de produção literária do nosso estado, e no mesmo patamar dos outros prêmios literários do Brasil. O anúncio da lista com 60 nomes reafirma o potencial dos novos autores do estado”, disse Vera sobre a lista, que será publicada em fevereiro de 2016.

O curador Ítalo Moriconi acredita que a premiação contribuirá para a profissionalização de novos autores.

“Este edital irá movimentar a produção literária e, finalmente, abrir portas para novos autores. Esse incentivo é fundamental para a profissionalização da literatura, meio que sofre tanto com a falta de incentivo para publicação”, afirmou Moriconi.

As inscrições para o Prêmio “Rio de Literatura” acontecerão de 26 de outubro a 9 de novembro de 2015, somente pelo site do Centro Cultural Cesgranrio: https://cultural.cesgranrio.org.br. Os vencedores serão anunciados em maio de 2016.

Edital Elipse estimula inovação no setor audiovisual

Com o intuito de incentivar também a formação de novos profissionais do setor audiovisual e da produção cinematográfica, o Edital Elipse  vai selecionar 12 projetos de curta-metragem e cada um dos ganhadores será contemplado com R$ 12.500,00 para a realização do filme.

As inscrições estão abertas somente para estudantes universitários até 30 de novembro. A temática do conteúdo a ser desenvolvido no filme é livre. Guilherme Tristão, fundador do Festival de Cinema Universitário e atual curador do Cine Art UFF, apontou que, nos últimos anos, as faculdades de cinema se multiplicaram pelo país e avaliou que o edital reafirma a importância da formação e da criação no ambiente acadêmico.

“Toda a formação era muito fragmentada, pulverizada em cursos e, hoje, após muitos anos de trabalho e elaboração do currículo, a faculdade de cinema é um ambiente sólido de formação. Esse edital para a produção de curta é mais uma conquista dessa ampliação do investimento na formação dos futuros criadores do cinema nacional”, afirmou Tristão.

A Superintendente do Audiovisual, Lia Bahia, ressaltou que a proposta de temática livre foi estipulada com o propósito de estimular a criação e não limitar a abordagem das narrativas audiovisuais.

“A proposta de criação artística, com a formação e com o desenvolvimento de uma linguagem estética do audiovisual, completamente livre, é o que queremos que os estudantes e novos profissionais da área se proponham a produzir. O processo criativo é a base para a inovação da cultura e da linguagem, e com esse edital aliamos a experimentação e a teoria acadêmica para estimular o pensamento e a construção de novas formas  de fazer cinema”, avaliou Lia Bahia.

Cursos online de qualificação em Biblioteconomia e Ciência da Informação. Acesse!

Comentários

Comentários

Postagem anterior

ALERJ vota hoje projeto de lei estadual da biblioteca escolar

Próximo post

Vinil, o único formato que sobrevive à música digital

Sem comentários

Deixe uma resposta