1
Compartilhamentos
Redefinição de Impressão Google+

A Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura (Unesco) decidiu hoje (5) inscrever Paraty e Ilha Grande, no sul do Estado do Rio de Janeiro, como patrimônio mundial da humanidade. O sítio inclui o centro histórico de Paraty e a Ilha Grande.

Esse é o primeiro sítio de patrimônio misto do Brasil, ou seja, que inclui bens culturais e naturais. Dos mais de mil patrimônios mundiais, apenas 39 locais, em 31 países, são sítios mistos. Paraty e Ilha Grande se juntam a outros 21 patrimônios mundiais da humanidade brasileiros, dos quais sete são naturais e 14 são culturais.

 A lista de patrimônios do país inclui Ouro Preto (MG), Olinda (PE), São Luís (MA), Cidade de Goiás (GO) e Salvador (BA), o Plano Piloto de Brasília, o Pantanal, as ilhas de Fernando de Noronha e Atol das Rocas, o Parque Nacional do Iguaçu (PR), as Paisagens Cariocas (RJ) e o Cais do Valongo (RJ).

A presidente do Iphan, Kátia Bogéa, que participou do Comitê do Patrimônio Mundial, no Azerbaijão, disse que o título “mostra exatamente a importância e a potência dessa continente para a compreensão da trajetória humana no planeta terra”, além de garantir o aumento a procura turística da região, porque Paraty já é patrimônio cultural brasileiro.

“Agora com patrimônio mundial nós temos no mundo inteiro 1.092, seja cultural, natural… E misto só são 38. O Rio de Janeiro consegui a declaração do Sítio do Valongo dentro de uma categoria muito específica, que só tem 11 no mundo, que são sítios sensíveis”, explicou na página do Facebook do Iphan.

*Com informações da Agência Brasil

Cursos online de qualificação em Biblioteconomia e Ciência da Informação. Acesse!

Comentários

Comentários

Postagem anterior

Mercado digital do livro será tema de debates na Flip

Próximo post

Flip 2019: programação paralela já é principal atrativo para muitas pessoas