0
Compartilhamentos
Redefinição de Impressão Google+

“Os cientistas dizem que somos feitos de átomos, mas um passarinho me contou que somos feitos de histórias”, disse Eduardo Galeano ao lançar seu último livro, Os filhos dos dias, no ano passado.

Um ano depois de lançar esse livro, Galeano veio a falecer e assim como a afirmação acima, a obra do escritor uruguaio também é feita de história, mas uma história que busca conceder voz aos condenados ao esquecimento.

Nesta edição, temos reflexões acerca da presença indígena na história do Brasil; do debate sobre um novo conceito de biblioteca; tecnologia assistiva; pluralidade dos saberes, entre outros.

Os dias passam, a história continua, mas o poeta permanece. Salve Eduardo Galeano! Uma boa leitura!

Cursos online de qualificação em Biblioteconomia e Ciência da Informação. Acesse!

Comentários

Comentários

Postagem anterior

O bibliotecário e a imprensa

Próximo post

Humana, estratégica e ampla

Sem comentários

Deixe uma resposta