0
Compartilhamentos
Redefinição de Impressão Google+

Para mim, falar de Agatha Christie é como rememorar histórias contadas por uma velha amiga. Desde os meus quatorze anos, tenho experimentado as aventuras e desventuras dos romances policiais e de suspense dessa prolífica escritora inglesa. São mais de 60 romances de mistério, quase 200 contos, 19 peças de teatro, diversos poemas, livros biográficos e mais outros livros sobre o pseudônimo de Mary Westmacott. Agatha era uma máquina de criatividade, profusão, ideias e, mais do que qualquer coisa, um gêiser de boas histórias.

“Um Pressentimento Funesto” (original ‘By the Pricking Of My Thumbs’, tradução de Bruno Alexander, editora L&PM Pocket, 2011, p. 256) traz de novo ao campo os detetives Tommy e Tuppence Beresford, agora mais velhos, casados e com filhos também casados, fatores que levam a crer que os dois estejam na casa dos 60. O casal esteve presente em cinco livros da autora britânica e são personagens cativantes, dotados de personalidades distintas. Tommy tem um ritmo menos intenso do que Tuppence, descrita como uma figura arguta e com a efusão de um foguete.
Os humores diferentes completam a dupla de detetives que, nesse romance, envolvem-se em uma trama que tem a ver com o “comichar dos polegares” – como diria Macbeth (“By the pricking of my thumbs, something wicked this way comes“) -, e com uma saga que descortina velhinhas confinadas (opa, residentes) em um asilo paradisíaco, um quadro com uma casinha graciosa, uma cidadezinha de poucos habitantes, uma igreja e acontecimentos que se misturam com fofocas e crendices de outros tempos. Todos esses fatores são adicionados ao desaparecimento de uma das vovós do asilo, a senhora Lancaster, e a busca desenfreada de Tuppence pela idosa.

Mistério e uma narrativa cercada de pressentimentos transformam a sexagenária Tuppence Beresford na heroína do romance, uma verdadeira investigadora em todos os aspectos. O único ponto que senti falta na trama está relacionado com a origem do segredo (claro, todo bom romance policial tem o segredo do segredo) esmiuçada, explicada, compreendida. De resto, o bom e o melhor de uma das escritoras mais influentes de todos os tempos, com publicações que perdem somente para a Bíblia e Shakespeare.

Informações:

Livro: Um pressentimento funesto

Autor: Agatha Christie

Tradução: Bruno Alexander

Editora: L&PM Pocket

Ano: 2011

Páginas: 256

ISBN: 9788525423009

Cursos online de qualificação em Biblioteconomia e Ciência da Informação. Acesse!

Comentários

Comentários

Postagem anterior

Por que crescemos racistas?

Próximo post

Precisamos falar de racismo em meio a uma pandemia