0
Compartilhamentos
Redefinição de Impressão Google+

“Lembrem-se das criancinhas do Brasil” dizia Pelé há mais de 40 anos ao marcar seu milésimo gol no Maracanã. Por mais demagoga que essa frase possa ser, ela diz muito a respeito dos sonhos depositados no futebol por crianças, adolescentes e jovens que buscam uma vida melhor.

O ano de 2014 vai ser marcado pela Copa do Mundo em solo tupiniquim e com todas as esperanças depositas na seleção canarinho em conquistar o título mundial, espantando o fantasma de 50. Dessa vez o camisa 10 da nossa seleção é o menino Neymar, muitas crianças do nosso país sonham um dia estar no lugar do craque brasileiro, enquanto isso não chega, vale copiar o estilo do cabelo, calçar uma chuteira colorida ou então usar a camisa do Barcelona para alimentar o sonho que com o passar do tempo vai ficando cada vez mais distante.

Grande parte das crianças brasileiras que vivem nas comunidades sonham um dia ser um jogador de futebol e ter a projeção do Pelé e do Neymar. Recentemente no campeonato Taça das Favelas 2013 – que reúne times de comunidades do Rio de Janeiro – um adolescente ao ser entrevistado disse que iria jogar a competição e tentar a sorte no futebol para ganhar dinheiro e sair da favela com sua família.

O sonho projetado no futebol pelas nossas crianças, adolescentes e jovens talvez seja a única saída de conseguir uma vida melhor e com mais dignidade. Há mais de 40 anos o Pelé – “que calado é um poeta” – jogava a mensagem de preocupação com as crianças brasileiras ao fazer o seu milésimo gol, assim como em época de Natal nossa demagogia parece florescer e acaba ficando encantada com o clima natalino. Com sonhos inflados pelos apelos dos mais variados presentes na grande mídia, nossas crianças precisam muito mais do que um brinquedo ou uma boneca da Barbie. O futuro da nação aguarda por dias melhores.

Ano que vem tem Copa do Mundo no Brasil, mas o maior sonho do nosso país não pode ser depositado em chuteiras e na construção de estádios modernos e sim no futuro de nossas crianças que em muitos casos sonham com o título de um dia ser um cidadão pleno.

Um Feliz Natal, um próspero Ano Novo e que 2014 não seja somente o ano do futebol.

Cursos online de qualificação em Biblioteconomia e Ciência da Informação. Acesse!

Comentários

Comentários

Postagem anterior

Marcia Heloisa Tavares

Próximo post

Biblioteca pública fechada para obra há 5 anos

Sem comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *