0
Compartilhamentos
Redefinição de Impressão Google+

O historiador francês Pierre Nora, em seu clássico texto “Entre memória e história” já havia indicado a memória como sendo um “fenômeno sempre atual, um elo vivido no eterno presente”. Segundo ele, a memória “está em permanente evolução”, posto que se encontra “aberta à dialética da lembrança e do esquecimento”. Pensando, muitos estudiosos têm se debruçado na contemporaneidade sobre a problemática da memória.

Com a Biblioteconomia não poderia ser diferente. No ano em que a essa completa o seu centenário em terras brasileiras, nada mais sugestivo do que falar da memória do Movimento Estudantil em Biblioteconomia e da importância do Centro de Documentação Histórica de Biblioteconomia da Universidade Federal da Paraíba (CEDOC-BIBLIO) na conservação e preservação da memória deste movimento.

O que é o CEDOC-BIBLIO?

O CEDOC-BIBLIO é um centro de documentação responsável em salvaguardar a memória do Movimento Estudantil da Biblioteconomia Brasileira. Ele foi idealizado no Grupo de Pesquisa Memo-Biblio, a partir da constatação de que existe a necessidade de recuperar as informações sobre os eventos estudantis realizados ao longo dos anos que, por conta da displicência de seus organizadores, se perdeu da memória da categoria.

Sua sede fica localizada na Universidade Federal da Paraíba (UFPB) e seu acervo é basicamente constituído de documentos produzidos em eventos e encontros estudantis, desde fotos, cartazes, atas, anais, camisetas e até fitas de vídeo.

De acordo com Giuliane Monteiro, aluna do curso de Biblioteconomia da UFPB e uma das integrantes do CEDOC-BIBLIO, “o acervo é constituído de documentos diversos, porém, de anos interruptos”. Segundo ela, “ainda falta bastante para compor o acervo total com documentos de todos os eventos da área’’.

Tendo em vista essa dificuldade, na trigésima terceira edição do Encontro Nacional dos Estudantes de Biblioteconomia, Documentação, Ciência da Informação e Gestão da Informação (ENEBD), realizado ano passado na UFPB, foi lançada a campanha: Resgate e Preservação da Memória do Movimento Estudantil em Biblioteconomia no Brasil. Essa campanha além de mobilizar alunos, possibilitou resgatar uma parte significativa de materiais, e, além disso, na plenária final do ENEBD, através de votação, foi aprovado e inserido no estatuto da Executiva Nacional dos Estudantes de Biblioteconomia, Documentação, Ciência da Informação e Gestão da Informação (EXNEBD), a obrigatoriedade da Escola sede de enviar para o CEDOC-BIBLIO um kit contendo folder da programação, materiais do evento, entre outros.

Mesmo com essa aprovação, muitos alunos dos cursos de Biblioteconomia do Brasil ainda não têm conhecimento da existência do CEDOC-BIBLIO.

Memória Estudantil

Dentre as preciosidades que compõem o acervo do Centro de Documentação, estão fotos tiradas durante encontros estudantis realizados no final de década de 1980, como uma do 11° ENEBD realizado na época na cidade de Porto Alegre no Rio Grande do Sul e outra do 12° encontro realizado, desta vez, na capital capixaba, Vitória.

Para quem quiser viajar no tempo e reviver momentos únicos dos encontros acadêmicos, acesse o blog do CEDOC-BIBLIO. Além de fotos, também está disponível vídeos de momentos (Plenárias, Festas, Alojamentos, Palestras) de encontros estudantis. Caso alguém tenha algum documento ou queira fazer alguma doação, entre em contato pelo e-mail: cdocbiblio@gmail.com e contribua com a preservação da memória do movimento estudantil de Biblioteconomia.

Uma bela oportunidade para reviver histórias marcantes. Quem participa dos encontros acadêmicos sabe o significado de reviver as trocas de experiências, de conhecimento e as grandes amizades que se renovam a cada edição desses encontros. A preservação desses documentos é de suma importância não só para o movimento estudantil, como também para área de Biblioteconomia e para uma sociedade como um todo.

Leia aqui a entrevista de Guiliane Monteira na íntegra.

Cursos online de qualificação em Biblioteconomia e Ciência da Informação. Acesse!

Comentários

Comentários

Postagem anterior

Twitter

Próximo post

Mary Komatsu Shinkado e Isabel Ariño Grau

Sem comentários

Deixe uma resposta