2
Compartilhamentos
Redefinição de Impressão Google+

A Malê, editora voltada à temática afro-brasileira, vai participar da programação paralela da Flip (Festa Literária Internacional de Paraty), que começa nesta quarta-feira, 10, com uma programação na Casa Poéticas Negras.  A programação inclui debates e lançamento de livros de escritoras de diversos segmentos da literatura.

A professora e pesquisadora da UFRJ, Giovana Xavier, lança no dia 13/07 (sábado), às 17 horas, o livro Você pode substituir mulheres negras como objeto de estudo por mulheres negras contando sua própria história, uma coletânea de ensaios curtos sobre feminismo negro, representatividade negra, maternidade e vida acadêmica.

O lançamento conta com um bate-papo entre a Giovana Xavier e a escritora Conceição Evaristo.  Poeta e slammer, uma das fundadoras do Slam das minas RJ, Letícia Brito lança no dia 12/07 (sexta), às 17h30, o livro Antes que seja tarde para se falar de poesia, a coletânea de poemas capta as questões sociais mais sensíveis da realidade brasileira contemporânea.

Com uma trajetória iniciada nos coletivos literários de São Paulo, no início da década de 1980, a romancista, contista e poeta, Miriam Alves, lança Maréia, seu segundo romance, no dia 12/07 (sexta), às 13 horas. Maréia aborda histórias que se cruzam na brutalidade da experiência colonial forjada na mentira, no logro e no ganho financeiro e social de um grupo de personagens; mas também na luta, resistência e crença na força e vitória da cultura por parte de outro grupo.

A poeta e slammer Maria Duda, de 19 anos, lança Navio Negreiro, seu primeiro livro de poemas, no dia 12/07 (sexta), às 17 horas.  O livro é uma parceria entre a Editora Malê e a Flup – Festa Literária das Periferias.  Também fruto desta parceria é a coletânea de poemas Encontro poético das Sarauzeiras Oníricas.  O grupo Sarauzeiras Oníricas surgiu no primeiro ciclo da Flup Pensa – FLUP Pensa, processo de formação de novos autores e leitores da FLUP, o livro será lançado no dia 12/07 (sexta), às 17 horas.

A programação ainda conta com um bate-papo sobre livro Vértice: escritas negras, organizado pela professora e pesquisadora Simone Ricco, no dia 13/07 (sábado), às 15 horas, e sobre Representação negra literatura infantil no dia 14/07, às 11 horas, com as escritoras Cássia Valle e Sonia Rosa.  A Casa Poéticas Negras fica localizada na Rua Marechal Santos Dias, 22, Centro Histórico, Paraty.

Abaixo as obras a serem lançadas pela Malê na programação paralela da Flip:

 

Capa do livro “Antes que seja tarde para se falar de poesia”, coletânea de poemas.
Capa do romace “Maréia” da escritora Miriam Alves.
Capa de “Você pode substituir mulheres negras como objeto de estudo por mulheres negras contando sua própria história”, uma coletânea de ensaios curtos sobre feminismo negro, da escritora Giovana Xavier.
Capa de “Navio Negreiro”, primeiro livro de poesia de Maria Duda.
Cursos online de qualificação em Biblioteconomia e Ciência da Informação. Acesse!

Comentários

Comentários

Postagem anterior

Pensar o Brasil passa por pensar João Gilberto

Próximo post

Mulheres mortas por defenderem os direitos humanos serão homenageadas na Flip