6
Compartilhamentos
Redefinição de Impressão Google+

O meme “estou com medo de abrir a geladeira e ter uma live dentro” é uma das brincadeiras que vem sendo divulgada nas redes sociais para satirizar a quantidade de lives neste período de quarentena. Diversos tipos de transmissões online foram exibidas para o músico, artista ou banda manter contato com seu público, para determinado político prestar conta deu suas ações aos eleitores ou então para médicos e pesquisadores alertarem a população para os impactos da Covid-19 na saúde pública.

Na área de Biblioteconomia não é diferente, algumas lives, cursos e até mesmo podcasts estão sendo divulgados com intuito de manter a classe informada a respeito de diversas temáticas que norteiam o escopo biblioteconômico. Criado pelos bibliotecários Victor Rosa, Wallace Santana e Debora Reis, o canal Web Conferência de Ciência da Informação e Biblioteconomia (WEBCONCIB) apresenta bate papos ao vivo, por meio de lives no Instagram com pesquisadores e profissionais das áreas de Biblioteconomia e Ciência da Informação.

Com um total de 1.950 seguidores até o momento, a iniciativa vem trazendo debates diários a partir das 18h, no Instagram. Para quem não conseguir assistir ao vivo, os debates são gravados e disponibilizados no Youtube da Webconcib. A primeira conferência online do canal foi realizada no dia 05 de abril e contou com a presença de Carlos Alberto Araújo Ávila, professor associado da Escola de Ciência da Informação da Universidade Federal de Minas Gerais. Em um mês de programação passaram pelas lives da Webconcib nomes como Almeida Junior, Briquet de Lemos, Catia Lindemann, Andreia Sousa, Daniela Spudeit, entre outros.

“A ideia do WebConCib é estabelecer uma conversa com a comunidade de Biblioteconomia e Ciência da Informação neste período. É uma forma de respondermos à crise por meio de uma reunião de bibliotecários, pesquisadores, estudantes em um mesmo lugar, mesmo que virtual, com horário marcado para mantermos uma rotina leve durante o isolamento”, ressalta Victor Rosa.

Hoje (02/05) a partir das 18h, a Webconcib tem live agendada com a professora e bibliotecária, Isa Freire. No domingo (03/05) o convidado para o bate papo é o pesquisador, Ricardo Medeiros Pimenta.

Cartaz de divulgação da Webconferência. Fonte: Instagram

O canal Santa Biblioteconomia é um dos mais tradicionais com informações voltadas para os concursos públicos na área de Biblioteconomia. Produzido e organizado pela bibliotecária, Thalita Gama, o canal conta até o momento com 9.751 seguidores e vem divulgando lives e conteúdos neste período de isolamento. Durante o feriado da Páscoa o canal produziu uma série de entrevistas conduzidas por Talita James, Thalita Gama e Camila Hudson com bibliotecários que desenvolvem iniciativas voltadas para concursos públicos como Gustavo Henn, Sônia Neves, Sergio Pinheiro e Ana Patrícia.

Thalita Gama revelou que a ideia da série de entrevistas surgiu devido a necessidade de criar espaços de trocas de conversas no contexto de quarentena. Segundo ela, “as iniciativas são importantes para demarcar o lugar social da classe. Avalio como importante ter ações vindas dos próprios bibliotecários como demonstração e marcação do nosso lugar social. Podcasts, lives, cursos, sites, quanto mais conteúdo diferenciado e de qualidade estiver circulando, melhor para nossa classe”.

No mês de maio o Santa Biblioteconomia pretende lançar novidades, como por exemplo a criação de um site novo com direito a disponibilização de e-book gratuito para os leitores.

Outro canal que vem exibindo lives de Biblioteconomia é o Bibliotecária em Construção. Idealizado pela bibliotecária Claudia Souza, o perfil do Instagram tem até agora um total de 1.924 seguidores em um espaço destinado para reflexão sobre biblioteconomia e afins. Com a série de entrevistas intitulada “Personalidades da Biblioteconomia”, Claudia convida nomes da área para debater temáticas como estágio, formação, mediação de leitura etc. A última entrevista da série até o momento foi realizada hoje (02/05), às 16h, com a bibliotecária Bianca Ferraz.

Victor Rosa avalia essas ferramentas online como fundamentais para manter um diálogo e circulação de conteúdos neste período: “Os recursos como lives e podcasts tem permitido a produção e circulação de mais conteúdo na área. Alguns colegas desenvolviam lives e podcasts antes do isolamento, com a WebConcib estamos apropriando dessas ferramentas para divulgar experiências, compartilhar ações, bibliografias e explicações sobre diversos temas”, destaca o bibliotecário.

Biblioteco, o podcast de entrevistas e cultura informacional

O primeiro podcast brasileiro foi criado no ano de 2004 quando Danilo Medeiros criou o podcast Digital Minds. Depois disso diversos podcasts foram criados abrangendo uma gama de temáticas. Nas áreas de Biblioteconomia e Ciência da Informação o primeiro podcast criado foi o CImplifica. Com periodicidade quinzenal, o CImplifica apresenta temas que engloba as áreas de Biblioteconomia, Arquivologia, Museologia e Gestão da Informação. Com 1.117 seguidores no Instagram, o canal de podcast abordou em seu último episódio as fake news.

O Biblioteco podcast é uma iniciativa da Liga Bibliotecária, grupo de bibliotecários no Facebook dedicados à ideia de uma biblioteconomia progressista e com foco voltado para as questões de cunho social da profissão. Com um total de 1.041 seguidores no Instagram, o canal possui até o momento sete episódios que estão disponíveis nas principais plataformas de podcasts.

Com mediação dos bibliotecários Raphael Cavalcanti e Ricardo Queiroz, os temas dos podcasts abordam questões relacionadas com formação e docência em Biblioteconomia, políticas públicas para bibliotecas, censura, livros, entre outros.

“A ideia foi a de criar uma conversa informal sobre assuntos afins. Biblioteco vem da junção de biblioteca com boteco, ou seja, uma conversa informal a respeito dos assuntos afins à biblioteca e Ciência da Informação”, destacou Ricardo Queiroz, no primeiro episódio da série.

“O Biblioteco surgiu como um processo natural das discussões que são feitas no Grupo da Liga. A necessidade de debater temas da Biblioteconomia sob um viés progressista, que fugisse da ideia falaciosa de neutralidade. O podcast apareceu como uma forma barata de levar essas discussões a mais pessoas, de forma um tanto leve apesar do peso de algumas pautas e de estarmos vivendo sob a pior conjuntura política desde a redemocratização”, destaca Raphael Cavalcanti

Cartaz de divulgação do podcast Biblioteco. Fonte: Instagram

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Através desses canais, os bibliotecários e bibliotecárias conseguem neste período de isolamento ter acesso a debates com um cunho mais acadêmico, como é o caso do Webconcib através de lives com professores e pesquisadores. Para os profissionais que estão aproveitando a quarentena para estudar, o Santa Biblioteconomia disponibiliza conteúdos que auxiliam na preparação para concursos com entrevistas, dicas e indicações de leitura. Os Podcasts do Biblioteco e as lives do Bibliotecária em Construção possuem uma linguagem mais informal, descontraída e que apresenta a informação de forma mais solta, propícia para o profissional refletir de maneira crítica a respeito de algumas práticas da área.

Fique em casa. Leia a Biblioo e confira as programações dos referidos canais.

Cursos online de qualificação em Biblioteconomia e Ciência da Informação. Acesse!

Comentários

Comentários

Postagem anterior

Coronavírus e desigualdades: alguns apontamentos para bibliotecários

Próximo post

Aquiles Brayner revela os motivos de sua exoneração do DLLLB