0
Compartilhamentos
Redefinição de Impressão Google+

O Fórum da Cultura, representado pela Associação dos Servidores da Fundação Biblioteca Nacional (ASBN), Associação da Fundação Nacional de Artes – Funarte (Asserte) e Associação de Servidores do Iphan (Asphan), publicou um comunicado no qual denuncia as péssimas condições do Edifício Gustavo Capanema e os riscos de vida aos quais os servidores públicos federais estão submetidos diariamente.

Marco arquitetônico de reconhecimento internacional, o Palácio Gustavo Capanema é famoso pelos painéis e murais de Candido Portinari, elaborados em 1942, além de contar com diversas obras de escultores representativos do modernismo brasileiro.

Edificio Gustavo Capanema

De acordo com a nota, o edifício passa atualmente por obras de restauração de sua fachada (pela empresa Concrejato, sob supervisão do Iphan), entretanto, a intervenção ocorre com o prédio em pleno funcionamento: pessoas trabalhando e circulando no local (servidores públicos, trabalhadores celetistas e usuários) que sofrem diariamente com as péssimas condições ambientais, agravadas pelo acúmulo de poeira, odores químicos, acidentes, altas temperaturas e poluição sonora.

“Estamos indignados com a total indiferença dos gestores responsáveis (MINC, IPHAN, BIBLIOTECA NACIONAL, FUNARTE), pois em nenhum momento organizaram plano de ação coordenado para minimizar riscos, evitar acidentes, proteger o patrimônio histórico e artístico tombado e garantir qualidade e conforto ambiental para seus servidores e trabalhadores. Como agravante, o prédio não conta com segurança efetiva contra incêndio, funciona com instalações elétricas precárias e obsoletas, oferecendo enorme risco à vida de todos e ao patrimônio arquivístico e bibliográfico sob a guarda da Biblioteca do Iphan, Arquivo do Iphan, Arquivo do Escritório de Direitos Autorais, Biblioteca Euclides da Cunha e Divisão de Música da Biblioteca Nacional”, denuncia o documento.

Como ação, as instituições que assinam a notam convidaram diversas instituições e veículos de mídia, dentre os quais a Revista Biblioo, a uma visita, no dia 1 de março de 2016, às 10h, ao prédio onde funciona atualmente a representação regional do Ministério da Cultura e outros órgãos a ele vinculados, como o Iphan, a Funarte, e a Fundação Biblioteca Nacional.

“Nesta visita esperamos contar com a companhia de representantes do IAB, CREA, OAB, CJT e Jornalistas sem Fronteiras, além de outras entidades”, esclarece.

Cursos online de qualificação em Biblioteconomia e Ciência da Informação. Acesse!

Comentários

Comentários

Postagem anterior

Maioria dos jovens fora da escola sequer completou o Fundamental

Próximo post

Projeto estimula leitura por meio da entrega de livros em Rio Preto

Sem comentários

Deixe uma resposta