0
Compartilhamentos
Redefinição de Impressão Google+

A utilização dos sites de redes sociais pela biblioteca pública é entendida neste trabalho como um recurso que poderá intensificar a dinamização, crescimento qualitativo e potencializar a comunicação com seus usuários, favorecendo a mediação da informação. Neste contexto, esta pesquisa teve por objetivo analisar como a Biblioteca Pública do Estado da Bahia (BPEB) explora o ambiente do Facebook e como suas atitudes neste espaço fazem com que o público em geral seja estimulado a usar os seus serviços e participar ativamente das atividades desenvolvidas.A técnicapara coleta de dados foi a observação direta intensiva, utilizando das técnicas de observação e entrevista.A observação foi feita na fanpage da BPEB pelas próprias autoras, associada dos aplicativos de monitoramento de sites de redes sociais, SocialBakers e SimplyMeasured. A entrevista, foi semiestruturada e não dirigida, seguindo um roteiro pré-definido com a coordenação do Núcleo Biblioteca Viva. Foi gravada em áudio, transcrita e analisada obedecendo às palavras-chave indexadas do conteúdo da entrevista com base nos objetivos da pesquisa. Para a realização desta pesquisa, buscaram-se compreender, à luz da literatura, conceitos sobre mediação da informação, processos comunicacionais, interação mediada por computador, redes sociais na internet, Biblioteca Pública e as competências do biliotecário no cenário da web 2.0.Os resultados indicaram que o uso do Facebooktem proporcionado uma maior aproximação entre os usuários e a Biblioteca, promovendo uma comunicação mais atraente e dinâmica, entretanto, essa comunicação, algumas vezes, confunde-se promoção da Biblioteca e a divulgação de seus serviços. Observou-se ainda que a participação dos bibliotecários da instituição no ambiente do Facebook ainda é bastante tímida. Concluiu-se que é preciso que haja uma conscientização tanto dos bibliotecários da BPEB, como dos outros profissionais envolvidos no processo de comunicação que acontece no Facebook­e da própria direção da Biblioteca sobre o potencial interativo que este site possuie que, a qualificação para utilização do site seria a solução para melhor explorar seu potencial.

 

Quadro 1 – Sugestão de aplicabilidade das ferramentas do Facebook pelas bibliotecas públicas

SERVIÇOS

BIBLIOTECA TRADICIONAL

BIBLIOTECA UTILIZANDO O FACEBOOK

APLICAÇÃO DAS FERRAMENTAS DO FACEBOOK PELAS BIBLIOTECAS

SERVIÇO DE REFERÊNCIA E INFORMAÇÃO

Serviço presencial e centralizado (espaço próprio, uma sala de consulta, por exemplo);Expositores para divulgação da instituição e dos serviços (folhetos, folders, etc.);

Sala de consulta ou de leitura

Orientação presencial para pesquisas e trabalhos científicos;

Acesso às coleções de referência com a presença face-a-face do bibliotecário;

Informação presencial dos horários e dias de abertura da biblioteca;

Acesso a clipagens impressas.

O Facebook favorecer uma comunicação direta com o usuário seja ela síncrona ou assíncrona. Este canal de comunicação pode servir para atender a uma necessidade específica de forma personalizada. O bibliotecário pode fazer um feedback da avaliação dos usuários para a informação que foi solicitada.  Os links e opções de plug-ins (ligação com outros sites) podem ser úteis para a comunidade. Assim, torna-se uma ferramenta muito poderosa a serviço da biblioteca como centro de informações.  Bate-papo, envio de mensagens off-line, comentário (resposta) a algum questionamento feito pelo usuário.Compartilhamento de links, imagens, vídeos, textos e disponibilização de plug-ins para acesso a outras fontes de informação na web, como também fazer uma exposição virtual sobre determinado assunto.

Disponibilização de informações no mural da biblioteca sobre o seu funcionamento e serviços, novas aquisições, assim como notícias ligadas à comunidade e em âmbito global.

“Curtir” um comentário de algum usuário mostra que a biblioteca se importa com o seu usuário.

O usuário pode fazer uma busca no Facebook alguém tipo de informação e, se a biblioteca tiver mencionado ou disponibilizado conteúdos que correspondem àquela necessidade, o usuário a terá a biblioteca como referência em sua busca social.

PROGRAMA DE FORMAÇÃO E ORIENTAÇÃO DE USUÁRIOS

Realização de cursos e palestras presenciais;Visitas guiadas;

Orientação e treinamento dos usuários no uso dos serviços oferecidos.

O Facebook pode contribuir, pois se adequa às necessidades do utilizador do site de forma eficiente, uma vez que funciona, também, como um disseminador de informação e, ao mesmo tempo, um meio para a transmissão de conteúdos com um custo mínimo. Além disso, o fato de poder criar um grupo virtual, torna mais fácil a colaboração de outros atores sociais (contatos com editores, autores locais, o voluntariado para a criação de serviços de biblioteca de extensão, etc.)  Criação de grupos para espaço de discussões;Envio de vídeos orientando o usuário para utilizar a biblioteca, bem como divulgando os seus serviços e apresentando sua estrutura, uma espécie de visita virtual.

Disponibilização de links para cursos online.

 

OUVIDORIA

Canal de comunicação, geralmente feito pessoalmente, por correspondência, por telefone ou através de urnas coletoras colocadas, com este objetivo específico, em locais bem visíveis da biblioteca. No entanto, se o usuário não se identificar é impossível o retorno da biblioteca. O Facebook fornece um canal interativo de comunicação que permite a participação da comunidade através de consulta na tomada de decisões biblioteca, ao relatar sobre as ações a serem realizadas e as expectativas dos seus usuários, o que propiciará a avaliação dos seus serviços. O site permite coletar indicadores qualitativos, pois é aberto a resenhas escritas por usuários, para adicionar questionários, perguntas, etc. Com isso, as respostas podem ser avaliadas, permitindo conclusões auxiliarão a tomada de decisões para corrigir erros e melhorar a qualidade dos serviços. Bate-papo, envio de mensagens off-line, comentário (resposta) a algum questionamento feito pelo usuário, ou mesmo, uma sugestão e elogio, que pode ser acentuado pela opção “curtir”.Criação de enquetes para melhorar o serviço da biblioteca.

 

 

 

 

MEMÓRIA LOCAL

O registro pode ser feito por meio de gravadores de som ou vídeo, quando possível. Geralmente sua transcrição é gráfica (suporte papel), ou em CD.  Há coleções de fotos antigas para a formação do acervo histórico. O Facebook possibilita criar um conjunto de fotografias que podem ser visualizadas pelo público. Por ser um site de rede social, pode também haver colaboração de envio de fotos, documentos históricos para que sejam integrados ao acervo fotográfico virtual. Criação de grupos com interesses histórico-sociais e, que compartilhem com documentos para inserção do acervo fotográfico virtual.Disponibilização de fotos históricas em seu álbum.

 

SERVIÇOS ESPECIAIS

Mesmo tendo como principio oferecer informação à toda comunidade, sem distinção de raça, cor, sexo, idade, etc., a biblioteca pública oferece serviços especiais direcionados, principalmente à mulheres, crianças, jovens, idosos, deficientes visuais. Cada grupo tem uma atenção especial da biblioteca, e para tal ela cria atividades, na maioria das vezes, dentro da própria biblioteca.  Similarmente a biblioteca pública, o Facebook tem a capacidade de relacionar com diferentes tipos de usuários e, que muitas vezes possuem interesses em comum. Desta forma, pode ajudar a atingir os cidadãos que, devido a problemas de acessibilidade não podem obter as informações necessárias para desfrutar dos serviços da biblioteca. Além disso, pode oferecer a possibilidade de acompanhar as atividades online tornando-se um serviço de extensão bibliotecária. Criação de grupos para espaço de discussões.Bate-papo, envio de mensagens off-line, comentário (resposta) a algum questionamento feito pelo usuário.

Disponibilização de linkspara cursos online.

 

 

 

 

SERVIÇOS DE EXTENSÃO

Podem ser: biblioteca-móvel, caixa-estante (também chamadas de bibliotecas ambulantes), biblioteca de verão e bibliotecas ramais ou sucursais. Pode, também, utilizar espaços públicos com programas de leitura em parques, estações de trem e/ou metrô, ou em espaços privados, como shopping centers. O Facebook pode aumentar a repercussão dos serviços, de maneira a aumentar a quantidade de pessoas informadas sobre eles. Pode também servir como auxílio na captação de recursos para tal e, conseguir voluntários. Assim, mais usuários e melhores possibilidades técnicas para desenvolver os serviços.  Também pode criar clubes de livros ou fóruns temáticos. Disponibilização de informações no mural da biblioteca sobre os serviços de extensão.Apresentação de fotos e vídeos dos serviços de extensão.

Criação de grupos com objetivos de incentivar à leitura.

INFORMAÇÃO À COMUNIDADE

Orientação presencial para a comunidade sobre necessidades informacionais específicas O Facebook pode abrir um espaço para questionar a comunidade virtual de usuários sobre os seus interesses, levando-se em conta as limitações legais e éticas sobre a privacidade dos usuários e à proteção dos dados. Criação de grupos com usuários que tenham interesses em comum.Compartilhamento de links, imagens, vídeos, textos e disponibilização de plug-ins para acesso a outras fontes de informação na web.

AÇÃO CULTURAL

Abertura do espaço local para atividades culturais: grupos com interesse em criação literária – poesia, literatura de cordel, contos; música (grupos corais, de instrumentos musicais); ecologia (com campanhas e passeios programados), entre outros. O Facebook permite filiação e participação voluntária dos indivíduos em grupos e atividades geradas por eles com base em interesses comuns. A produção de ações ligadas à cultura potencializa a multiculturalização de maneira interativa.  Criação de eventos e gerenciamento do público-alvo.Criação de grupos com usuários que tenham interesses em comum.

Apresentação de fotos e vídeos das ações culturais desenvolvidas.

Disponibilização de informações no mural da biblioteca sobre as ações culturais.

Criação de enquetes para avaliar a atividade cultural.

Fonte: Da própria autora baseado em Accart (2012), Brasil (2000, p. 93-103), Garcia Giménez (2010).

Cursos online de qualificação em Biblioteconomia e Ciência da Informação. Acesse!

Comentários

Comentários

Postagem anterior

Então é natal!

Próximo post

Big acervo

Sem comentários

Deixe uma resposta