0
Compartilhamentos
Redefinição de Impressão Google+

Entre os dias 19 e 25 de julho foi realizado o XXXVIII Encontro Nacional dos Estudantes de Biblioteconomia, Documentação, Ciência e Gestão da Informação (ENEBD), sediado em São Luís, sob a organização dos estudantes de Biblioteconomia da Universidade Federal do Maranhão (UFMA).

Tive a honra de participar da mesa redonda intitulada “Ética e Valorização Profissional: como transformar as práticas Políticas do Profissional da Informação” em parceria com o professor Francisco das Chagas (UFSC) e o bibliotecário/professor Cristian Santos (Câmara dos Deputados) e construir uma discussão coletiva acerca da ética nas práticas do profissional da informação.

Desse modo, exponho um breve relato de minha apresentação na mesa redonda supramencionada a fim de partilhar e estimular novas discussões sobre os múltiplos ethos do profissional da informação.

A conferência foi dividida basicamente em quatro contextos. O primeiro situa uma breve análise da ética a partir dos seguintes vieses: do caráter conceitual da ética. O segundo versa sobre correntes e tipos de ética. O terceiro envolve a interpelação “quais correntes/tipos de ética defendemos para o profissional da informação?” O quarto é alusivo as “aplicações da ética no contexto do profissional da informação”.

Iniciando pelo primeiro contexto, houve as seguintes abordagens, a saber:

  1. Do caráter conceitual da ética – ethos (formação de princípios histórico-sociais) x morales (formação de costumes); ética pré-socrática que é dividida nas éticas sofística, tendo como principais expoentes Protágoras e Górgias, ética socrática, ética platônica e ética aristotélica;
  2. Correntes da ética e tipos de ética – quanto às correntes da ética foram relacionadas a ética utilitarista ou consequencialista representada por estudiosos como Kant, Stuar Mill e Jeremy Bentham; ética causalista ou compreensiva, desenvolvida por pensadores como Nietzsche e Weber; ética marxista e ética existencialista (SørenKierkegaard, Edmund Husserl, Martin Heidegger, Jean Paul Sartre e Simone de Beauvoir). Já os tipos de ética se constituem como consequência das correntes e foram discutidas a ética normativa, ética teleológica e a ética situacional;
  3. Quais correntes/tipos de ética defendemos para o profissional da informação? – defendi na exposição duas correntes éticas eminentemente estratégicas e marcantes para o campo da informação: a ética pluricontextualista, dividida em pluralidade, diversidade, hibridismo e zonalidade e a ética da alteridade ou ética alteritária que vislumbra como o profissional da informação deve pensar sua atuação a partir das perspectivas do outro (no caso podem ser contemplados a comunidade de usuários, a instituição e o grupo de trabalho em que o profissional atua);
  4. Aplicações da ética no contexto do profissional da informação

Leia o texto completo na edição 47 da Revista Biblioo. Clique aqui e adquira em nossa loja virtual.

Cursos online de qualificação em Biblioteconomia e Ciência da Informação. Acesse!

Comentários

Comentários

Postagem anterior

Empreendedorismo na Biblioteconomia

Próximo post

Luiz Armando Bagolin

1 Comentário

  1. Djalda Muniz
    21 de agosto de 2015 a 10:47 —

    Parabéns prof. Jonathas Carvalho, sempre uma inspiração para os discentes dos cursos de Biblioteconomia do Brasil. Obrigada por sua presença no ENEBD 2015 Maranhão

Deixe uma resposta