0
Compartilhamentos
Redefinição de Impressão Google+

A Empresa Júnior é um movimento estudantil surgido em universidades francesas, cujo objetivo é o de congregar estudantes com um mesmo interesse em desenvolver os conceitos e estudos apreendidos em sala de aula, aplicando-os antecipadamente ao mercado de trabalho futuro. É gerenciada essencialmente por estudantes universitários que realizam projetos e prestam serviços em suas áreas de graduação, principalmente para micro e pequenas empresas. Não tem finalidade econômica e pratica preços abaixo do valor de mercado, todos os seus projetos e serviços seguem a orientação de professores ou profissionais na área, com o objetivo de sempre garantir um padrão de qualidade elevado. Segundo a confederação brasileira de empresas júnior, a Brasil Júnior, existem cerca de 1,2 mil empresas no país, que se posiciona na liderança mundial em empresas juniores.

A existência de empresas júnior na área de Biblioteconomia é recente, sendo a considerada a primeira experiência formalizada, datada do ano de 2004 quando um grupo de estudantes de UFSC (Universidade Federal de Santa Catarina), fundaram a Biblio Junior. Porém existem outras empresa juniores, como a CGI (Consultoria para Gerência da Informação) formada por alunos de Biblioteconomia e Ciência da Informação da UFMG (Universidade Federal de Minas Gerais);  a empresa júnior da UFSCar (Universidade Federal de São Carlos),  a EGID Jr., empresa júnior formada por alunos do curso de Gestão da Informação e Documentação da UNESP (Universidade Estadual Paulista), dentre outras empresas.

A presença do movimento de empresas júnior está concentrado fundamentalmente nas regiões sul e sudeste do país, porém, o interesse por esse movimento influenciou a região Nordeste, resultando na criação da primeira empresa júnior oficialmente formalizada dessa região, cuja denominação se afirma como AGIR Consultoria Jr. – Empresa Junior de Biblioteconomia da Universidade Federal do Ceará – campus Cariri, situada na cidade de Juazeiro do Norte, interior do estado do Ceará. A AGIR surgiu a partir inquietude de estudantes do curso de Biblioteconomia que visualizaram a necessidade da prática nas aulas do curso, além do interesse em ampliar o mercado de trabalho do bibliotecário nessa região do país.

A diversidade de serviços prestados por essas empresas partem desde os serviços base da atividade bibliotecária, até serviços considerados mais aprofundados da práxis bibliotecária, que exigem um maior conhecimento do prestador, no caso dos estudantes. São serviços como normalização de trabalhos acadêmicos; consultoria em implantação, organização e gestão de bibliotecas; consultoria em gestão da informação; elaboração de tesauros; catalogação de materiais, dentre outros serviços que permeiam as ações das empresas juniores na área de Biblioteconomia.

O fruto das ações das empresas juniores de Biblioteconomia podem ser aferidos pela influência delas na vivência acadêmica e profissional dos estudantes que participam desse movimento. O enriquecimento pessoal e profissional é de sobremaneira indispensável à formação dos estudantes, além de proporcionar de forma direta, a valorização do papel do bibliotecário na sociedade.

Cursos online de qualificação em Biblioteconomia e Ciência da Informação. Acesse!

Comentários

Comentários

Postagem anterior

O mundo de quem não lê

Próximo post

Múltiplas mediações da informação

4 Comentários

  1. kátissa Galgania
    18 de abril de 2013 a 21:01 —

    Parabéns e muito sucesso, artigo objetivo e esclarecedor, excelente na dilvulgação dos serviços da área.

  2. Isabel Leal
    20 de abril de 2013 a 16:23 —

    Parabéns Samuel, maravilhoso artigo, que permeia principalmente a importância da prática bibliotecária, para que possam ser aplicados futuramente no mercado de trabalho.

  3. Raquel
    7 de maio de 2013 a 15:04 —

    Nossa, seu texto é ótimo! Obrigada!! Gostaria de ter participado de uma empreendimento desses na graduação! Aqui no Norte não tenho conhecimento sobre essas atuações! Um grande abraço…

    • Samuel Monteiro
      14 de maio de 2013 a 11:45 —

      Obrigado Raquel pela análise. Esse texto foi desenvolvido com a responsabilidade de motivar outros acadêmicos de Biblioteconomia e áreas afins a desenvolver a prática do empreendedorismo em suas universidades.

Deixe uma resposta