As organizações necessitam justificar a sua razão de ser, isto é, o porquê da sua existência. E ao esforço despendido pela organização para justificar sua existência chamaremos de missão

A questão da fundamentação teórica da Biblioteconomia é uma problemática que se encontra presente há muito tempo no cenário de pesquisa de diversos autores em vários períodos diferentes, ainda sendo, na perspectiva contemporânea, um tema em pleno desenvolvimento na área.

A ação cultural “Adote um livro e transforme-se” dá livros novos e usados em ações nas vias públicas de bairros afastados dos centros comerciais da cidade de São Paulo. A equipe de voluntários, liderada pela bibliotecária e criadora do projeto Grazielli de Moraes, coleta doações de livros junto a amigos, desconhecidos, empresas e a todos que tiverem interesse em disseminar a leitura.

Três horas da tarde. Raios solares descem do céu e transformam-se em gotas de suor. Não há pretensões faraônicas. Não há competição ou angústia. Tudo é como deve ser. A instabilidade é natural; a metamorfose é lei. Por um segundo, considero como deve ser viver entre os astros, no centro da Via Láctea. Força e serenidade, talvez?

Enquanto a segunda década do século XXI é marcada pela forte presença da imagem e da tecnologia no dia a dia da sociedade contemporânea, que influencia diretamente a comunicação e a literatura, os adultos passam a redescobrir uma atividade realizada na infância: a arte de colorir. As editoras passam a investir nesse novo nicho de mercado, além, é claro, da indústria de material para colorir como, por exemplo, lápis de cor, lápis cera, lápis pastel, hidrocor, canetinhas de gel e tintas.

Uma das perguntas mais atuais e prementes na Biblioteconomia brasileira é: por quais motivos não temos um sistema nacional de sindicatos bibliotecários? A pergunta ressoa com muita pertinência em um momento que os sindicatos passam por crises de representação político-institucional, especialmente por vinculações ideológico-partidárias, mas que ainda se constituem como uma das maiores fortalezas representativas no âmbito profissional (sindicatos de classe), social, cultural, educacional, empresarial, entre outros.

O Projeto CDI Bibliotecas é uma iniciativa desenvolvida pelo Comitê para a Democratização da Informática (CDI). Patrocinado pela Fundação Bill e Melinda Gattes e com apoio do Sistema Nacional de Bibliotecas Públicas (SNBP), um dos objetivos principais do CDI Bibliotecas é ajudar os profissionais que atuam em bibliotecas públicas a integrar ideias, potencializar serviços e fortalecer políticas públicas para as bibliotecas públicas brasileiras.

“Passei para o jornalismo em virtude de ter outra opção de campo profissional, o que ficou prevalecendo”

Ainda são raras as bibliotecas que dispõem de estrutura adequada para atender as pessoas com deficiência

Eduardo Cunha é uma figura bem conhecida do povo carioca. Nas eleições de 2014 utilizou o slogan “o povo merece respeito”, sendo eleito como deputado federal, recebendo um total de 232.708 votos. Acusado de corrupção passiva, lavagem de dinheiro, favorecimento ilícito e evasão de divisas, o atual presidente da Câmara dos Deputados permanece intocável. Por que Cunha ainda não caiu?