Nascido em Bruxelas, na Bélgica, em 1868, Paul Otlet foi advogado e um visionário na área de Ciência da informação, que ele costumava chamar de “Documentação”. Também foi um idealista e ativista da paz, juntamente com seu parceiro e amigo Henri La Fontaine, engajado em ideias políticas de um novo mundo, promovendo a paz através da difusão global da informação.

Em 2015, o Rio de Janeiro está completando 450 anos. Muitas atrações estão sendo organizadas e irão levar muitos turistas a visitarem a cidade. Cristo Redentor, Pão de Açúcar, Jardim Botânico, Praia de Copacabana são os principais locais que atraem turistas do mundo todo.

Conhecida por todo o globo terrestre como a mais famosa “Rainha do Crime”, a inglesa Agatha Christie aposta no sobrenatural para compor os contos de “O Cão da Morte” (original The Hound of Death, tradução de Alessandro Zir, editora L&PM, 2013, págs. 256). A coletânea traz doze contos que envolvem espíritos, metafísica, misticismo, magia e o temido “rastro da morte”. Agatha deixa de concentrar sua narrativa no famoso lead jornalístico do “o que? quem? quando? onde? como? por quê?” para perscrutar a alma e todos os enigmas que separam o mundo humano de outras dimensões.

Começo este texto com um esclarecimento. Não resolvi escrever sobre este tema mediante os escândalos que assolaram a FIFA na última semana de maio, escândalos esses que resultaram na prisão de sete dirigentes altamente influentes, que têm direito de voto – por exemplo – na escolha de países sede de uma Copa do mundo, dentre os quais, o ex-presidente da CBF, José Maria Marín, e outros sul-americanos que participavam do congresso da entidade que escolheria, ao final, o novo presidente da entidade.

Este texto representa sinteticamente as perspectivas do projeto de pesquisa intitulado A biblioteca pública como mídia: a construção de um modelo de atuação no brasil, desenvolvido no curso de Biblioteconomia da Universidade Federal do Cariri que busca compreender na articulação teórico-prática os significados de informação na biblioteca, uma nova percepção conceitual de biblioteca pública e a construção da biblioteca pública no Brasil como mídia alternativa, sendo este último um redimensionador do significado de informação na biblioteca.

Leitores aos montes, folheando livros e revistas, acomodados em sofás, encostados às paredes, no chão. É assim, especialmente nos finais de semana, em bookstores do Recife. O acervo da livraria está disponível para venda. Enquanto isso, espalhadas pela cidade, as bibliotecas com acervos disponíveis para empréstimo, gratuitamente, experimentam um desolador ostracismo. Os visitantes de muitas delas se restringem a colegiais, em busca de fontes para pesquisas escolares.

O dito popular diz que “promessa não cumprida é jura esquecida!”. Há quase oito anos atrás, o ex-presidente Luís Inácio Lula da Silva, prometeu zerar até o ano de 2008 o número de municípios brasileiros sem biblioteca. “Em 2008, queremos que haja uma biblioteca em cada cidade brasileira”, destacou Lula.