1
Compartilhamentos
Redefinição de Impressão Google+

O Centro de Preservação, Pesquisa e Referência (CPPR) do Museu da Imigração, aberto em abril de 2016, disponibiliza para consulta gratuita um acervo especializado, formado por aproximadamente 10 mil publicações, 550 entrevistas de história oral, 12 mil itens e objetos, 62 metros lineares de arquivo institucional e um banco de dados online com cerca de 250 mil imagens digitalizadas.

Como forma de contribuir para que as famílias encontrem informações dos seus antepassados imigrantes de forma mais assertiva, especificamente no material digitalizado disponível no site do MI, a instituição – pertencente à Secretaria da Cultura do Estado – lança o ebook gratuito “Acervo Digital do Museu da Imigração”.

A publicação, desenvolvida pela equipe de pesquisa, apresenta etapas e caminhos ideais a serem seguidos, além de dados sobre a trajetória da Hospedaria de Imigrantes do Brás, explicação de cada item do registro de matrícula, resumo dos outros campos de busca existentes nessa plataforma, entre outros. Para fazer o download, é necessário acessar o site e preencher um pequeno formulário.

Visando aprimorar o atendimento presencial e personalizado, realizado pelos pesquisadores, e torná-lo acessível para um número maior de pessoas, o Centro estendeu o seu horário de funcionamento, passando a abrir de terça a sábado, das 10h00 às 16h00 (exceto feriados).

Durante o ano de 2018, os profissionais desse espaço atenderam mais de nove mil solicitações presenciais ou encaminhadas por e-mail, relacionadas ao acervo online e com finalidade genealógica ou para processos de cidadania.

“Muitas pessoas chegam aqui em busca de documentação para cidadania, ou interessadas na construção de árvore genealógica, com poucas informações e saem com dados preciosos e uma pesquisa encaminhada”, explica o pesquisador da instituição, Henrique Trindade.

O CPPR tem como funções a salvaguarda, a pesquisa e a difusão do acervo do Museu da Imigração e de referências patrimoniais sobre a trajetória dos migrantes. O espaço atua em conjunto com diversos setores da instituição e estabelece parcerias com universidades, centros de pesquisa e comunidades migrantes, resultando na gestão do acervo e no desenvolvimento de estudos que podem se tornar publicações, exposições ou programações culturais e científicas.

A equipe está preparada para atender estudantes e pesquisadores que estão em busca de informações para trabalhos acadêmicos ou público em geral, com interesse sobre os antepassados ou à procura de documentos para processos de cidadania. Além do trabalho de atendimento, o Centro engloba, também, os trabalhos especializados de conservação preventiva, pesquisa e catalogação, de modo a aprofundar o conhecimento sobre o acervo e sua comunicação.

“É extremamente gratificante manter esse espaço no Museu da Imigração, oferecendo um serviço personalizado de qualidade. A nossa equipe está empenhada para que esse atendimento continue crescente e que o CPPR se torne um centro de pesquisa cada vez mais completo, com a ampliação da estrutura e o estabelecimento de parcerias estratégicas relacionadas ao tema das migrações”, comenta a diretora executiva da instituição, Alessandra Almeida.

Acervo do Museu da Imigração

O acervo do Museu da Imigração é formado pela coleção museológica e de história oral, biblioteca e arquivo institucional. A coleção museológica contém 12 mil objetos e é composta por objetos pessoais, domésticos, de trabalho ou relacionados às viagens. São roupas e acessórios, itens de cozinha, brinquedos, instrumentos médicos, ferramentas de marcenaria, tipografia, equipamentos e maquinários diversos, malas, baús, além de fotografias, passaportes, cartas, etc.

A coleção de história oral, conta com 569 entrevistas coletadas ao longo de 25 anos. A coleção surgiu do interesse de registrar trajetórias migrantes para São Paulo e a história da Hospedaria de Imigrantes do Brás. Atualmente, vem sendo realizados projetos de captação de entrevistas focando nas migrações contemporâneas. Entre os grupos culturais presentes nessas produções, os visitantes e pesquisadores encontram relatos de alemães, armênios, bolivianos, congoleses, croatas, haitianos, japoneses, entre outros.

Durante a visita ao CPPR, o público pode ter acesso a todo o acervo bibliográfico, que começou ser formado no Serviço de Imigração e Colonização (1939) e vem sendo acrescido de títulos com a temática da migração, principalmente depois da década 1990. O espaço incorporou coleções que são consideradas especiais e com grande valor, como os volumes da coleção Brasiliana, editada pela Companhia Editora Nacional.

A biblioteca do MI disponibiliza também conteúdos relacionados a São Paulo: história, deslocamentos populacionais e migração internacional e interna para essa localidade, além de museologia, biblioteconomia, arquivologia, preservação e conservação de acervos e ações educativas em museus. Entre as classes predominantes na coleção bibliográfica, o público encontra publicações sobre as imigrações italiana, japonesa, sírio-libanesa, espanhola e chinesa; migrações internas; políticas migratórias e história das famílias e dos bairros de São Paulo.

Já o arquivo institucional, que pode ser consultado mediante agendamento prévio, é formado por documentos produzidos internamente desde 1993. Dividido nos fundos “Memorial do Imigrante (1993-2010)” e “Museu da Imigração (2011-2018 )”, são compostos por dossiês de atividades culturais, materiais de divulgação, fotografias de programações e exposições, além de registros relacionados à gestão do Museu.

O Museu da Imigração disponibiliza também um banco de dados digital, com diversos tipos de registros do funcionamento da Hospedaria de Imigrantes do Brás, que pode ser acessado por meio do site da instituição. O banco é composto por Livros de Matrícula da antiga Hospedaria de Imigrante do Brás, Cartografia, Listas de Bordo, Cartas de Chamada, Iconografia, Requerimentos Administrativos e Jornais elaborados por comunidades migrantes.

Atendimento

Os interessados nas entrevistas de história oral, na biblioteca, no acervo museológico e no arquivo institucional, devem entrar em contato pelo e-mail biblioteca@museudaimigracao.org.br. As entrevistas podem ser consultadas no Museu ou disponibilizadas em mídias mediante assinatura de cessão de uso de imagem, uma vez que não podem ser utilizadas comercialmente.

Para quem deseja esclarecer dúvidas sobre a pesquisa no acervo digital, antes de vir pessoalmente, pode entrar em contato pelo e-mail pesquisa@museudaimigracao.org.br.

O Museu da Imigração fica na Rua Visconde de Parnaíba, 1.316, na Mooca, em São Paulo. Seu horário de funcionamento é de terça a sábado das 9h00 às 17h00, e aos domingos entre 10h00 e 17h00. Os ingressos para visitação custam R$ 10, estudantes e pessoas acima de 60 anos pagam meia-entrada. Aos sábados, a visitação é gratuita. Outras informações estão disponíveis no site www.museudaimigracao.org.br.

Serviço

Centro de Preservação, Pesquisa e Referência

Horário: de terça a sábado, das 10h00 às 16h00 (exceto feriados)

Entrada: Gratuita

Local: Museu da Imigração

Cursos online de qualificação em Biblioteconomia e Ciência da Informação. Acesse!

Comentários

Comentários

Postagem anterior

No caminho de Francisca havia pedras e sonhos, mas também uma biblioteca

Próximo post

Ladrões de livros raros voltam a rondar bibliotecas da UFRJ