0
Compartilhamentos
Redefinição de Impressão Google+

Por Bruno Bartholini, do site Porto Maravilha.

O Instituto de Pesquisa e Memória dos Pretos Novos (IPN) divulgou programação completa de oficinas gratuitas para março de 2016. Professores e pesquisadores convidados ministram cursos sobre cultura africana, história e relação do negro com a Região Portuária [do Rio de Janeiro]. Com apoio do programa Porto Maravilha Cultural, as aulas no Centro Cultural José Bonifácio (Rua Pedro Ernesto 80, Gamboa) começam no dia 8 de março e seguem até novembro. Interessados podem se inscrever pelo endereço de e-mail anc@pretosnovos.com.br.

Relíquias arqueológicas encontras no Cais do Valongo durante as obras do Porto Maravilha. Foto: Mariana Aimée.
Relíquias arqueológicas encontras no Cais do Valongo durante as obras do Porto Maravilha. Foto: Mariana Aimée.
Confira a programação:
Terça-feira, 8 de março – História dos Pretos Novos
A oficina “História dos Pretos Novos” discute quem eram, de onde vinham e como foram enterrados os africanos escravizados no maior cemitério de escravos das Américas, o Cemitério dos Pretos Novos. O professor Júlio Cesar Medeiros, diretor do Núcleo de pesquisas do IPN, estimula o posicionamento crítico frente aos problemas atuais enfrentados por afrodescendentes. A discussão aborda preconceito, exclusão social e sucessivas tentativas de apagar essa memória.
Horário: 14h
Duração aproximada: 2h45
Quarta-feira, 9 de março – Conto de Tradição Oral Africana e Afro-brasileira
A oficina gratuita explora lendas e mitos indígenas, africanos e afro-brasileiros, acompanhados de atividades como pintura corporal, desenho, música e outras manifestações artísticas com as crianças. O foco é um maior entendimento e aceitação das diferenças étnicas e culturais para contribuir com a luta contra discriminação e exclusão social. Quem comanda a atividade é Claudia Marques, contadora de histórias e mestre em Literatura Brasileira pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ).
Horário: 14h
Duração aproximada: 3h
Quinta-feira, 10 de março – História da Zona Portuária na Perspectiva da Afroculturalidade
A oficina estuda o Circuito Histórico e Arqueológico de Celebração de Herança Africana em cenário global de aumento e diversificação de museus e sítios patrimoniais. Ministrado por Carla Marques, doutora em Políticas Públicas e Formação Humana pela Universidade Estadual do Rio de Janeiro (Uerj), o curso discute o circuito no âmbito das condições que caracterizam a pós-modernidade.
Horário: 14h
Duração aproximada: 2h30
 
Sexta-feira, 11 de março – O Mercado de Escravos do Rio de Janeiro
A oficina gratuita trabalha a escravidão urbana na cidade do Rio de Janeiro, analisando operações como entrada, estadia e saída do escravo nesse mercado de almas. O professor Claudio de Paula Honorato, mestre em história pela Universidade Federal Fluminense (UFF), fala sobre a transferência do Mercado de Escravos da Praça XV para o Valongo, as funções sociais dos escravos e seus modos de vida na cidade.
Horário: 14h
Duração aproximada: 2h40
Quarta-feira, 16 de março – Axum Cristão: Introdução à História da Igreja Etíope
Associar a presença cristã na África apenas à expansão colonial europeia é perder de vista a contribuição original feita neste continente à formação e ao desenvolvimento histórico do movimento religioso. A Igreja da Etiópia, cuja origem seguramente remonta ao século IV, e talvez seja ainda anterior, esteve por mais de um milênio e meio com presença contínua em terras africanas. No país onde a dominação estrangeira nunca se fez presente por muito tempo, a fé cristã serviu de esteio para a constituição de forte identidade nacional e reelaboração da cultura tradicional em termos escritos e universalistas. A oficina gratuita tem o objetivo de apresentar temas históricos e teológicos ligados à comunidade eclesiástica com as culturas tradicionais africanas e com outros setores do ecúmeno cristão. O recorte histórico da oficina vai do início da penetração cristã na Etiópia, com a consideração de seus antecedentes, até as vésperas do surgimento do Islã.
Tópicos abordados
– Caracterização antropogeográfica do planalto etíope
– Chegada do cristianismo à Etiópia
– Organização e influência do monasticismo etíope
– Liturgia e principais questões teológicas do cristianismo na Etiópia
– O cânon bíblico e a hermenêutica da Igreja Etíope
– Arte religiosa e arte sacra no cristianismo etíope
– Relações entre Igreja e Estado na Etiópia
– Expansão missionária do cristianismo etíope
– Relações da Igreja da Etiópia com outras igrejas cristãs
Horário: 14h
Duração aproximada: 2h20
Quinta-feira, 17 de março – Cosmogonia Africana: A Visão de Mundo do Povo Yorubá
A oficina gratuita contribui para despertar a consciência humana, resgatar e preservar as tradições culturais de matriz africana. Ministrado pelo professor Marcelo Monteiro, presidente do Centro de Tradição Afrobrasileira (Cetrab) e fundador e diretor do IPN, o estudo do cosmo mostra claramente a interrelação com a diversidade cultural, não somente africana, como também com todas as culturas que acreditam nos elementos da natureza enquanto parte do Criador.
Horário: 14h
Duração aproximada: 2h40
Sexta-feira, 18 de março – Exu, Guardião Bate à Porta (Série Mitologia Afro-Brasileira)
A oficina trata da ambígua figura de Exu. Demonizado pelos primeiros colonizadores europeus, tanto na África quanto no Brasil, Exu é um desafio à compreensão lógica. A figura do trapaceiro é um tema universal nas mitologias e está sempre associada aos trânsitos, às comunicações, às conexões, ao que não se pode capturar. Tudo o que se movimenta é mobilizado por Exu. No tecido mitológico Yorubá é uma divindade de primeira importância, sem o qual o trânsito entre o Orum e o Ayiê não pode ocorrer. O curso é o primeiro da série ministrada pelo mitólogo e escritor JD Lucas.
Horário: 14h
Duração aproximada: 2h30
Cursos online de qualificação em Biblioteconomia e Ciência da Informação. Acesse!

Comentários

Comentários

Postagem anterior

Juca Ferreira

Próximo post

"Leitores sem Fim"

Sem comentários

Deixe uma resposta