0
Compartilhamentos
Redefinição de Impressão Google+
Foto da capa. Por Mara Vanessa
Foto da capa. Por Mara Vanessa

Foi para se amar ou para se consumir que o dia 12 de junho, dia dos namorados, foi criado? Depende da perspectiva. No conto O Som do Abismo em Preto e Branco da colunista da Revista Biblioo, Mara Vanessa, esse fato serve para marcar as diferenças de leitura que os personagens fazem do mundo. Diferenças essas que marcam o fim de um relacionamento de oito anos num dia 12 de junho.

Conforme nos explica a escritora, O Som do Abismo em Preto e Branco nasceu de uma inquietação que vem lhe atormentando há algum tempo: a naturalização de certas ideias, termos, vivências e sentimentos do mundo. O abandono faz parte dessa curiosidade angustiante.

“Comecei a escrevê-lo partindo de uma ideia que estou desenvolvendo e que, com o passar do tempo, foi conquistando outros contornos”, explica.

Átimo

Foto da capa: Ana Cândido Carvalho
Foto da capa: Ana Cândido Carvalho

Experiência. Sensação. Transcendência. Emoção. Sonhos.  Essa é a alquimia de Átimo, outro conto escrito por Mara Vanessa. No enredo, Sara carrega um par de asas invisíveis. Livre, ela deixa o coração seguir com o vento e não tem medo de recomeços. Andando pelas trilhas do destino que construiu com as próprias mãos, Sara conhece um jovem e tímido pescador. Por amor – e com o amor -, ela decide guardar dentro de um relicário as experiências e sensações que incendiaram de emoção sua vida. Até que mudanças acontecem e, em um átimo, o passado se conecta ao presente.

Você pode baixar o e-book pelo link do Dropbox (de forma rápida, partilhada e gratuita). Você também pode encontrar o conto no Skoob e no Widbook (leitura virtual).

Você pode baixar o e-book pelo link do Dropbox (clique aqui).

 Também pode encontrar o conto no Skoob e no site Widbook (leitura virtual).

Cursos online de qualificação em Biblioteconomia e Ciência da Informação. Acesse!

Comentários

Comentários

Postagem anterior

Museu da Maré

Próximo post

História do Estado

Sem comentários

Deixe uma resposta