0
Compartilhamentos
Redefinição de Impressão Google+

Por Assessoria de Comunicação, do Ministério da Cultura.

Em homenagem ao jornal francês Charlie Hebdo e em defesa da liberdade de expressão, a Fundação Biblioteca Nacional (FBN) promove mostra gratuita com desenhos do cartunista Georges Wolinski. Considerado um dos mais geniais colaboradores do Charlie Hebdo, Wolinski foi vítima, aos 80 anos, do atentado terrorista à sede do periódico em Paris no último dia 7 de janeiro.

Na exposição, há quatro vitrines com cerca de 20 revistas do próprio acervo da FBN. Nelas, constam diversos trabalhos de Wolinski para a revista Grilo, que circulou durante a ditadura militar, entre 1971 e 1973, e Bicho, também da década de 1970. Pela Grilo, passaram também os cartunistas Smythe , Jules Feifer, Guido Crepax e Robert Crumb. As tiras e desenhos, localizadas no saguão da FBN, remetem a conteúdos políticos, anárquicos e eróticos.

Em texto divulgado pela FBN, Roberto Lessa, presidente da FBN, explica que o atentado vitimou o princípio da liberdade de pensamento, de criação e atingiu o humor, “um operador fundamental para o exercício da crítica e do próprio pensamento”. Segundo ele,” esta pequena mostra homenageia o semanário francês, por meio de uma menção a seu mais genial colaborador, o cartunista Georges Wolinski. Ele foi um tipo sem o qual não se pode dizer que vivemos em sociedades livres e civilizadas”.

O atentado

Na manhã de 7 janeiro, os irmãos Kouachi invadiram a sede do jornal Charlie Hebdo, encapuzados e armados, e mataram, a tiros, jornalistas, cartunistas e funcionários do jornal. Wolinski foi um deles. O atentado terrorista foi reivindicado pela Al Qaeda do Iêmen e gerou manisfestações pelo direto à liberdade de expressão por todo o mundo.

Wolinski, carinhosamente apelidado de Wolin pelos amigos íntimos, era considerado um dos maiores cartunistas da atualidade. Na França, colaborou com outros jornais, como Libération, Paris Match e L´humanité. O cartunista judeu nasceu em 1934, na Tunísia.

Cursos online de qualificação em Biblioteconomia e Ciência da Informação. Acesse!

Comentários

Comentários

Postagem anterior

Arte de rua

Próximo post

Conflito Histórico

Sem comentários

Deixe uma resposta