3
Compartilhamentos
Redefinição de Impressão Google+

O Centro Cultural da Justiça Federal fica localizado na Avenida Rio Branco, nº 241, no Centro do Rio de Janeiro e atualmente conta com uma biblioteca com acervo especializado em Arte e Cultura, aberta ao público de terça a domingo, das 12h às 19h. A partir de amanhã, o CCJF vai receber a primeira edição do Encontro História do Livro na Biblioteconomia durante os dias 28, 29 e 30 de maio de 2019.

A ideia de criar um encontro para discutir questões relacionadas com a história do livro e das bibliotecas surgiu quando as organizadoras Claudia Souza, Eva Medvedeff e Vanessa Batista ainda eram alunas da disciplina “História do Livro e das Bibliotecas”, durante o curso de graduação em Biblioteconomia da Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UNIRIO). Diante do aprendizado em sala de aula e de trabalhos apresentados em eventos estudantis de Biblioteconomia, as organizadoras também observaram a carência de disciplinas como preservação e conservação na grade curricular e na formação profissional dos bibliotecários.

O Encontro pretende, a partir da reunião de profissionais da Biblioteconomia e áreas afins, suscitar discussões acerca da importância da História do Livro para a formação dos bibliotecários e contribuir para a elaboração de boas práticas nas bibliotecas e centros de documentação.

A programação

Nesses três dias a intenção é de suscitar conversas e debates acerca da História do Livro e suas relações. O programa do Encontro está dividido em três eixos: No dia 28 de maio o eixo a ser abordado será a “História do Livro e Gestão de Bibliotecas”; no dia seguinte os palestrantes convidados vão abordar experiências voltadas para a “História do Livro e a Representação do Conhecimento” e no último dia do Encontro a temática escolhida foi a da “História do Livro: um campo entre duas áreas”.

Mary Komatsu, bibliotecária do Museu Nacional de Belas Artes vai ser uma das palestrantes do primeiro dia do Encontro. Com uma atuação profissional voltada para preservação e divulgação de Ex-Libris, Komatsu, atualmente administra o perfil “Caçadora de Ex-Libris” no Instagran, onde divulga esse universo presente em obras de artes em bibliotecas, museus e de colecionadores. Em uma conversa com à Biblioo, Mary, adiantou com exclusividade algumas questões que pretende levar para sua apresentação no I Encontro da História do Livro na Bibliotecoomia. Confira:

Como você avalia a importância da realização de eventos como o I Encontro da História do Livro na Biblioteconomia?

É uma oportunidade para os profissionais da área e principalmente para os estudantes de Biblioteconomia conhecer e refletir sobre a evolução do livro e das bibliotecas.

O que você pretende abordar em sua apresentação no Encontro?

A minha palestra abordará sobre o universo do Ex-libris através de um breve panorama histórico, fornecendo informações sobre as tipologias e sua relação intrínseca com o livro e o proprietário. Vou contar sobre a construção de uma exposição virtual com a temática sobre o Ex-Libris nos acervos do Museu Nacional de Belas Artes para a plataforma do Projeto Google Art e sua conexão com os acervos bibliográficos, arquivísticos e museológicos.

Mary Komatsu com Ex-Libris da artista Dejanira que faz parte do acervo do Museu Nacional de Belas Artes

Qual mensagem você deixa para o público que pretende participar do evento?

Espero que o público entenda a importância do Ex-Libris como uma das marcas de proveniência bibliográfica e seu papel fundamental na identificação dentro das coleções tanto como objeto artístico, histórico e cultural.

Cursos online de qualificação em Biblioteconomia e Ciência da Informação. Acesse!

Comentários

Comentários

Postagem anterior

“A política dos memes” é tema de exposição no Museu da República, no Rio

Próximo post

Bibliotecas são o que são graças aos profissionais por trás delas