0
Compartilhamentos
Redefinição de Impressão Google+

RIO – Durante as comemorações dos vinte anos do Programa Nacional de Incentivo à Leitura (PROLER), a coordenadora nacional do programa Carmen Pimentel fala com a Revista Biblioo sobre as metas e desafios do PROLER para o ano de 2012.

Rodolfo Targino: Como você avalia a semana de comemoração dos vinte anos do PROLER?

Carmen Pimentel: Uma grande festa. Comemorar vinte anos de um programa de leitura no Brasil é um prazer enorme e uma grande alegria. O PROLER é um programa de leitura que está a mais tempo atuando no governo e no país todo. É muito importante estarmos aqui comemorando isso.

R. T.: Sabemos que o Brasil ainda luta pela democratização da leitura. Como você avalia essa questão e quais os desafios do PROLER?

C. P.: Essa luta é infinita. Vamos lutar sempre para que a leitura seja um direito de todos. É difícil, mas quando acreditamos, temos que lutar por isso. Estamos tendo uma virada e um resgate. O PROLER está voltando com força total e isso vai ser muito bom para dar força a essa ideia de colocar cidadão leitores em todos os cantos.

R. T.: Você poderia adiantar os programas e as atividades que o PROLER vem desenvolvendo no decorrer desse ano?

C. P.: O foco principal do PROLER é a formação de mediadores de leitura. Estamos com o projeto chamado Cidadania e Leitura, que a princípio vai atingir vinte comitês do PROLER. Ontem recebemos a notícia que esse projeto vai ter continuidade. Isso é muito bom porque demonstra que é um projeto que está mexendo com as pessoas, e, além disso, as ações que já estão na rotina do PROLER, levarão para os comitês os projetos de capacitação de leitura e também a ideia de aumentar o número de comitês. Hoje nós temos setenta e oito comitês espalhados pelo Brasil todo; a nossa ideia é conseguir aumentar esse número em 15% para poder atingir outros municípios e regiões do Brasil, garantindo um número maior de leitores.

R. T.: O poder público e o governo federal têm olhado com mais sensibilidade à questão de políticas públicas para a leitura?

C. P.: Agora especialmente, como eu falei, estamos em uma virada e o Ministério da Cultura tem apoiado bastante esses projetos. A ideia do Plano Nacional do Livro e da Leitura (PNLL), que agora está sendo instalado nos municípios e nos estados, é dar muita força para as políticas de leitura. O momento é esse! Temos que agarrar isso com toda força e botar leitura para todos para aproveitar o momento que o governo está investindo seriamente nessa questão.

Cursos online de qualificação em Biblioteconomia e Ciência da Informação. Acesse!

Comentários

Comentários

Postagem anterior

Alberto Calil e André Araújo

Próximo post

Gilda Queiroz

Sem comentários

Deixe uma resposta