0
Compartilhamentos
Redefinição de Impressão Google+

Começa o maior evento de livro e leitura do país

Ela é bienal, muito embora os amantes do livro e da leitura não se importassem se ela fosse anual. É claro que estou falando do evento literário mais importante do país: a Bienal Internacional do Livro do Rio de Janeiro. O evento chega a sua décima quinta edição com a vitalidade de uma debutante. O comentário não é gratuito, posto que em um país com uma tradição de leitura tão pífia, há de se admirar que um evento voltado ao produto literário tenha tanto fôlego. A história da Bienal remonta à década de oitenta, quando, em 1983, nos salões do Hotel Copacabana Palace, numa área de cerca de 1 mil m², foi montada a I Bienal Internacional do Livro do Rio de Janeiro. Hoje são cerca de 450 expositores espalhados por três dos cinco pavilhões do Rio Centro, maior centro de convenções da América Latina. As atrações culturais se dividem em diversos espaços, tais como Maré de Livros, Café Literário, Encontro com os autores, Livro em cena, Biblioteca mirim, entre outros. O destaque dos espaços vai para o Café Literário, cuja programação é tradicionalmente uma das mais concorridas. Figuras como Laurentino Gomes, Luis Fernando Veríssimo, Joel Rufino dos Santos, Ana Maria Machado, Edney Silvestre, Ferreira Gullar, Antonio Cícero, Viviane Mosé, Godofredo de Oliveira Neto e tantos outros, passarão por lá.

País homenageado

Por conta da visibilidade que o Brasil tem alcançado, sobretudo em virtude dos eventos esportivo programados para os próximos anos (Copa do Mundo em 2014 e Olimpíadas em 2016) e contrariando a tradição do evento que era de homenagear outros países, a organização da Bienal resolveu homenagear o próprio Brasil. “Tradicionalmente escolhemos um país estrangeiro para ser homenageado na Bienal do Rio. Este ano inovamos e optamos por celebrar a cultura brasileira, nos antecipando à Feira de Frankfurt, que terá o país como convidado de honra em 2013. O Brasil, sede da Copa 2014 e das Olimpíadas 2016, está na moda internacionalmente, e nada mais pertinente do que discutir e revelar ao público aspectos belos e importantes da nossa incrível diversidade cultural”, afirma Sonia Jardim, presidente do SNEL (Sindicato Nacional dos Editores de Livros), instituição que organiza o evento em parceria com a Fagga | GL exhibitions.

Autores internacionais

Dentre os autores internacionais convidados, o destaque vai para Jean Marie Blas de Roblès. O escritor francês vem ao Brasil lançar seu romance Lá onde os tigres se sentem em casa (Record), cujo grande feito foi vencer o Prêmio Medicis, um dos mais importantes da França. Destaque também para William P. Young, autor de A cabana, o best-seller que figura há cerca de três anos entre nas primeiras colocações nas listas de mais vendidos e já tem mais de 2,5 milhões de exemplares comercializados só no Brasil. A programação conta ainda com: Abraham Verghese, Alejandro Guillermo Roemmers, Alyson Noël, Amitav Ghosh, Anne Rice, Audrey Niffenegger, Deborah Harkness, Gonçalo M. Tavares, Hilary Duff, Lauren Kate, Leonard Mlodinow, Kim Edwards, Lisa Sanders, Marc Levy, Michael Connelly, Patricia Schultz, Pepetela (Artur Carlos Maurício Pestana dos Santos), Scott Turow e Steven Carter.

Entrada franca para alguns profissionais

A entrada custa R$12,00 e a meia-entrada custa R$6,00, sendo que professores, bibliotecários e profissionais do livro têm entrada gratuita, bastando apresentar comprovante da profissão e documento de identidade. Esses profissionais deverão preencher uma ficha de credenciamento no site da Bienal, além de ter de apresentar no dia de sua ida ao evento, documento que comprove a condição de profissional (carteira do CRB para os bibliotecários, por exemplo) e a ficha de credenciamento impressa, mais o documento de identidade. Como é possível perceber, a festa mantém um alto padrão de organização e ao que tudo indica não faltarão motivos para diversão. A Bienal do Livro é um programa para toda a família.

A participação da biblioo

A biblioo, como não poderia deixar de ser, estará presente à Bienal nos 11 dias do acontecimento. Com uma grande equipe mobilizada em torno do evento, a biblioo levará informação de tudo que estará rolando por lá, seja por meio do boletim diário, do twitter ou do facebook. E no dia 11, às 11h da manhã, a biblioo marcará presença no stand da Biblioteca Comunitária Solano Trindade participando do debate A nova Biblioteconomia e os movimentos sociais. Contamos com a presença e com o acesso de todos.

Cursos online de qualificação em Biblioteconomia e Ciência da Informação. Acesse!

Comentários

Comentários

Postagem anterior

A Bienal dos publicadores independentes

Próximo post

Programação da fundação Biblioteca Nacional na Bienal

Sem comentários

Deixe uma resposta