1
Compartilhamentos
Redefinição de Impressão Google+

Do G1 de São Paulo

Atriz leu três sermões do padre Antônio Vieira na manhã desta sexta. Feira vai até domingo (31) no Anhembi e meta é receber 700 mil pessoas.

 

A atriz Fernanda Montenegro abriu na manhã desta sexta-feira (22) a 23ª Bienal do Livro de São Paulo, que acontece até 31 de agosto no pavilhão de exposições do Anhembi. Ela leu trechos de três sermões do padre Antônio Vieira (1608-1697).

A atriz dividiu o palco com os músicos do Conjunto de Música Antiga da Universidade de São Paulo (USP), que tocou nos intervalos entre as leituras. Ela foi bastante aplaudida, sobretudo durante o “Sermão do bom ladrão”.

Nesta edição, a organização quer que a Bienal deixe de ser “só uma feira de livros” para ser “um momento multicultural”, com atividades que vão da gastronomia ao rap, passando por música, teatro e dança. Há oito espaços culturais. A Câmara Brasileira do Livro (CBL) é curadora de três deles, e o Sesc, dos outros cinco.

O tema é “Diversão, cultura e interatividade: Tudo junto e misturado”. A expectativa é receber um público de 700 mil pessoas – a capacidade máxima por dia é calculada em 100 mil. De acordo com a CBL, o investimento total foi de R$ 34 milhões, sendo R$ 4,8 milhões captados via Lei Rouanet. São 350 expositores, que representam 750 selos.

Os ingressos custam R$ 12, de segunda a quinta-feira; e R$ 14, de sexta-feira a domingo. Ônibus de graça faz o trajeto ida e volta entre o terminal Tietê e o Anhembi. Aos sábados e domingos, o serviço vale para o terminal Barra Funda.

23ª Bienal Internacional do Livro de São Paulo
Quando: de 22 a 31 de Agosto de 2012
Onde: Pavilhão de Exposições do Anhembi (Av. Olavo Fontoura, 1.209, Santana)
Horário de visitação: de segunda a sexta-feira das 9 às 22h (com entrada até as 21h); sábados e domingos, das  das 10h às 22h (com entrada até as 21h)
Ingressos: R$ 12 (segunda, terça, quarta e quinta) R$ 14 (sexta, sábado e domingo)

Cursos online de qualificação em Biblioteconomia e Ciência da Informação. Acesse!

Comentários

Comentários

Postagem anterior

Os desafios das bibliotecas digitais

Próximo post

Edgar Morin

Sem comentários

Deixe uma resposta