0
Compartilhamentos
Redefinição de Impressão Google+

A Comissão dos Trabalhadores em Bibliotecas e Arquivos da Universidade Federal Fluminense está organizando o I Encontro sobre Bibliotecas e Arquivos. Um dos objetivos do evento é procurar reunir, mobilizar e conscientizar os profissionais da informação acerca do valor das bibliotecas e arquivos da universidade, assim como, a importância dos profissionais e do papel das unidades de informação na pesquisa acadêmica.

O Encontro será realizado no dia 09 de dezembro de 2016, das 8 às 18h, no Auditório da Faculdade de Economia, localizado no campus do Gragoatá da UFF.

Para saber mais a respeito da programação e dos objetivos deste evento, a Revista Biblioo conversou com Gilda Alvarenga, bibliotecária da Biblioteca Central do Gragoatá e Secretária da Comissão dos Trabalhadores em Bibliotecas e Arquivos da UFF.

Como surgiu a ideia de realização do I Encontro dos Trabalhadores em Bibliotecas e Arquivos da Universidade Federal Fluminense?

Surgiu através da necessidade de dialogar e interagir com a classe acerca das dificuldades encontradas no desempenho das atividades cotidianas das unidades de informação.

Qual o principal objetivo do evento?

O objetivo principal é reunir, mobilizar e conscientizar os profissionais da informação. Por isso, o Encontro irá: discutir o valor das bibliotecas e arquivos na UFF e de seus profissionais; analisar o papel das unidades de informação na pesquisa acadêmica e sua influência social e científica; abordar as exigências do Ministério da Educação (MEC) sobre as bibliotecas e seu significado para o financiamento e validação dos cursos; estimular a organização dos trabalhadores das bibliotecas e arquivos para exigirem melhores condições de trabalho, valorização profissional e impedirem o assédio moral; conscientizar profissionais e alunos dos cursos de Biblioteconomia e Arquivologia sobre os temas tratados no evento.

Quais são as dificuldades que os trabalhadores bibliotecários e arquivistas enfrentam hoje na UFF?

As principais dificuldades consistem na carência de investimentos desde questões mínimas de infraestrutura, perpassando por um grande déficit de aquisição de material de informática e vários problemas de conservação e manutenção. Além da mais profunda ausência de política de higienização dos acervos, que impactam diretamente na saúde e no bem-estar dos servidores e usuários. E, ainda, poucos investimentos em material bibliográfico. Visto que a modalidade de aquisição da coleção se dá, majoritariamente, via projetos das agências de fomento. A Universidade investe quantias muito tímidas nesse item, prejudicando o crescimento e atualização dos acervos. Outro problema, muito recorrente, é o assédio moral, que deixa marcas psicológicas profundas no assediado.

Quem são os palestrantes já confirmados para o evento e que temas eles irão abordar?

Os nomes já devidamente confirmados são:

  • João Carlos Gomes Ribeiro (Ex-diretor do Núcleo de Documentação/UFF, atual Superintendência de Documentação) – Histórico do Sistema de Bibliotecas da UFF.
  • Profª. Drª. Regina de Barros Cianconi (UFF) – A biblioteca universitária como mediadora da construção de conhecimento científico.
  • Drª Terezinha Martins dos Santos Souza (UNIRIO) – Assédio moral nas universidades públicas.
  • Dr. Raimundo Januário Pereira – Aspecto jurídico do assédio moral.
  • Profª Francelina Helena Alvarenga Lima e Silva  (FIOCRUZ) – Abordagem sobre a  insalubridade em Bibliotecas e Arquivos e os riscos para os trabalhadores.
  • Patricia Quadros de Lemos (Arquivista no Pólo Universitário em Nova Friburgo) – realidade dos Arquivos na UFF.
  • Helania Oliveira Madureira (Bibliotecária-Chefe da Biblioteca da Escola de Engenharia Metalúrgica em Volta Redonda/UFF) – Avaliação do MEC e seu significado para o financiamento e validação dos cursos.
  • Professor Briquet de Lemos (UnB) –  O fazer biblioteconômico em tempos difíceis: uma análise dos novos tempos.
Cursos online de qualificação em Biblioteconomia e Ciência da Informação. Acesse!

Comentários

Comentários

Postagem anterior

Traças mostram mais interesse pela Biblioteca Central da Bahia que o poder público

Próximo post

ABECIN conta com nova diretoria

Sem comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *