1
Compartilhamentos
Redefinição de Impressão Google+

Cerca de 500 pessoas, dentre os quais diversos bibliotecários, participaram ontem (25) de um abraço simbólico ao Centro Cultura São Paulo (CCPS) em protesto contra a decisão da prefeitura da capital paulista de passar a rede de bibliotecas do município, a maior da América Latina, para o controle de uma organização social (OS). A notícia havia sido anunciada pelo secretário municipal de Cultura, André Sturm, no último dia 5.

De acordo com os organizadores do ato, nos últimos anos as bibliotecas se fortaleceram com as inaugurações da biblioteca de direitos humanos em Cidade Tiradentes e a biblioteca feminista em Guaianazes, com a reforma de bibliotecas temáticas e com a criação do Fórum de trocas de experiências de ações culturais e de mediação de leitura em bibliotecas.

Contudo, a medida do prefeito João Dória pode, conforme os manifestantes, resultar em precarização das condições de trabalho, bem como dos serviços oferecidos, ameaçando a qualidade e a independência da proposta cultural.

“O abraçaço ao centro cultural hoje foi uma demostração de que a sociedade civil, movimentos populares e os trabalhadores não irão aceitar que o CCSP, as bibliotecas e os espaços públicos de cultura sejam terceirizados e entregues a iniciativa privada. Nosso abraço simbólico foi um sucesso! E esse movimento não pode parar por ai!”, avaluou um internauta. “Mais do que administrar a prefeitura, a atual gestão precisa reconhecer e dialogar com os diferentes atores e espaços democráticos de decisão”, disse outro manifestante.

Confira abaixo fotos do ato:

“Em defesa das bibliotecas públicas”, diz cartaz dos manifestantes. Foto: Facebook

Bibliotecários reclamam da precarização das bibliotecas públicas. Foto: Facebook.

Manifestantes protestam em frente ao CCSP. Foto: Facebook.

O abraço simbólico ao CCSP reuniu centenas de pessoas. Foto: Facebook

“Biblioteca viva é biblioteca pública”. Foto: Facebook

Manifestantes se concentrando em frente ao CCSP. Foto: Facebook

O abraço ao CCSP reuniu cerca de 500 pessoas. Foto: Facebook 

Manifestante vestido de Mário de Andrade. Foto: Facebook

“Nossa parceria é com a comunidade”, diz cartaz de manifestante. Foto: Jornalistas Livres/Facebook

Cursos online de qualificação em Biblioteconomia e Ciência da Informação. Acesse!

Comentários

Comentários

Postagem anterior

Dez comunidades do Rio terão jornal próprio a partir de fevereiro

Próximo post

Biblioteca Parque de Manguinhos é ocupada

Sem comentários

Deixe uma resposta