1
Compartilhamentos
Redefinição de Impressão Google+

Este pequeno artigo tem basicamente o objetivo de marcar o tempo. Tempo para apontar dados sobre o fechamento do edifício da Biblioteca Pública Municipal João Bosco Pantoja Evangelista, fato ocorrido em 08 de agosto de 2011, bem como sua transferência provisória para uma casa no Largo de São Sebastião, em 2012, e as condições em que se encontram os trâmites referentes ao processo de reforma do prédio original.

A ideia para composição dessas linhas ocorreu após acompanhar a repercussão de uma matéria publicada no dia 24 de setembro de 2014, pelo jornal A Crítica, em Manaus, sobre o abandono do prédio da Biblioteca Municipal, quando vários internautas buscaram posicionamento dos responsáveis pelo Movimento Abre Biblioteca (grupo que lutou pela reabertura do espaço físico da Biblioteca Pública Estadual do Amazonas em 2012), instigando, inclusive, um possível recomeço de mobilizações nas redes sociais em prol dessa outra biblioteca.

Diferente, porém, do outro momento em que começamos as atividades com uma passeada percorrendo o centro histórico de Manaus, dessa vez quisemos ouvir o poder público, saber que providências foram tomadas e, se possível, obter um prazo para a entrega do espaço, sem precisar bater de frente. Para tal, agendamos com os gestores responsáveis pela cultura no âmbito municipal de Manaus e fomos recebidos para uma conversa sobre a reforma da Biblioteca.

Contexto: Biblioteca Municipal João Bosco Pantoja Evangelista

Conforme já apontado, a Biblioteca Municipal fechou suas portas em 2011, época em que a cidade chegou a não dispor de nenhum espaço público de biblioteca, haja vista que também a Biblioteca Estadual encontrava-se fechada para reforma desde 2007. Com a proposta de reabrir provisoriamente em outro lugar e sabendo que era absolutamente necessária a intervenção no espaço, seguimos esperando, porém as providências para a realização das obras, mesmo passados três anos, não foram iniciadas.

É válido destacar que em dezembro de 2012, alguns dos participantes do Movimento Abre Biblioteca posaram para uma foto como uma ação simbólica pedindo providências quanto à reforma do prédio oficial da Biblioteca Municipal. Na época, porém, concentrávamos esforços na luta pela reabertura da Biblioteca Pública Estadual do Amazonas.

Leia o texto completo na edição 38 da Revista Biblioo. Clique aqui e adquira em nossa loja virtual

Cursos online de qualificação em Biblioteconomia e Ciência da Informação. Acesse!

Comentários

Comentários

Postagem anterior

Edição 38

Próximo post

Analfabetismo existencial

Sem comentários

Deixe uma resposta