0
Compartilhamentos
Redefinição de Impressão Google+

As três unidades das bibliotecas parque do Rio (Estadual, Manguinhos e Rocinha) estão fechadas desde dezembro do ano passado devido a falta de verbas para manter esses equipamentos culturais. Na última terça-feira a unidade de Manguinhos foi ocupada por familiares e integrantes do projeto social, Ballet de Manguinhos, que ensina balé para aproximadamente 211 meninos e meninas da região e desde o ano de 2015 utiliza as dependências da biblioteca parque de Manguinhos para desenvolver suas atividades.

Incomodados com o fechamento das bibliotecas parque e da suspensão das atividades do ballet, mães, alunos e integrantes do projeto fizeram um multirão de limpeza e ocuparam a biblioteca na tarde da última terça-feira. Daiana Ferreira, diretora geral do Ballet de Manguinhos, descreveu em sua rede social a importância dessa ocupação e ressaltou que foi bonito sentir o cheiro de biblioteca limpa e pronta para ser utilizada.

“Foi bonito ver mães de bailarinas chegando junto, sabendo que aquele espaço é delas e de suas filhas. Foi bonito as crianças, adolescentes e jovens ajudando e foi bonito sentir o cheiro bom de lugar limpo e pronto para ser utilizado. Limpamos a sujeira que os políticos corruptos queriam deixar, a sujeira de elefante branco, de lugar abandonado e sem utilização. Cada lixo retirado, cada poeira no nariz e cada quase tombo no piso molhado valeu a pena. Porque essa é a nossa casa, aqui que fazemos cultura. Não vamos desistir, vamos resistir! É agora… Quero ver quem vai tirar a gente daqui! Porque a biblioteca é nossa!”, comentou Daiana em seu perfil do Facebook na noite da última terça feira.

Somente no ano passado, a biblioteca parque de Manguinhos recebeu um público no total de 129.412 pessoas. O Estado do Rio possui quatro bibliotecas parque e somente a unidade de Niterói continua funcionando. Mais de 150 funcionários foram demitidos depois que o Instituto de Desenvolvimento e Gestão (IDG) anunciou que não vai mais administrar esses espaços culturais.

Ainda não existem garantias de que a biblioteca parque de Manguinhos voltará a funcionar. A ideia de Vera Schroeder, coordenadora da Superintendência da Leitura e do Conhecimento, é de utilizar somente parte do prédio para um atendimento mínimo dos ensaios dos grupos artísticos. Porém a diretora geral do Ballet de Manguinhos, Daiana Ferreira, negocia a possibilidade de utilizar uma área mais ampla da biblioteca, como por exemplo, o acervo de livros e o Cine Teatro Eduardo Coutinho, onde são realizadas as apresentações do projeto.

Cursos online de qualificação em Biblioteconomia e Ciência da Informação. Acesse!

Comentários

Comentários

Postagem anterior

Bibliotecários dão abraço simbólico ao CCSP em protesto contra privatização de bibliotecas

Próximo post

Bibliotecários posam para o calendário da diversidade

Sem comentários

Deixe uma resposta