0
Compartilhamentos
Redefinição de Impressão Google+

Diante de tantas notícias ruins, sobretudo com a crise política/econômica que o país vem atravessando, principalmente, onde se vê os representantes da nação tentando tirar o máximo de proveito da situação para favorecimento próprio, soube, através do Facebook, que um grupo de mulheres tem feito à diferença numa escola do interior do estado do Piauí.

132322222

Confesso que fiquei encantada com o projeto “Biblioteca de Taipa” na Escola Municipal Nossa Senhora da Conceição no município de Miguel Alves, no norte do estado, organizado pelo Grupo Lumens. O projeto vem tendo ampla divulgação através das mídias sociais e muitos enviam suas fotos segurando cartazes em apoio ao projeto através das hashtags ‪#‎ProjetoBibliotecaDeTaipa ‪#‎GrupoLumens. Tal campanha já chegou a outros países e conseguiu adeptos na Argentina, na Colômbia, no Paraguai, no México, nos Estados Unidos e na Espanha.

Entrei em contato para conhecer mais um pouco sobre o projeto e compartilho com vocês as informações que obtive:

Quando, como e por que surgiu o Grupo Lúmens?

O Lumens surgiu no início de 2014 como uma ação de páscoa na comunidade Sambaíba, logo após uma série de reportagens sobre as condições das escolas no Brasil, na qual uma das escolas apresentadas era a Escola Municipal Nossa Senhora da Conceição. Flaviane Tajra é a fundadora do grupo, e no mês de maio de 2014 convidou mais duas pessoas (Luzianne Siqueira e Evelyn Karine) para irem conhecer de perto a Escolinha de Taipa. Gostamos de dizer que não fomos nós que escolhemos a escola, e sim, a escola que nos escolheu. Fomos levadas até essa comunidade com um propósito e está sendo feito.

As mulheres que formam o Grupo Lúmens possuem alguma formação? Caso possuam, qual(is)?

Sim, atualmente nosso grupo é formado 100% por mulheres, profissionais e estudantes de diversas áreas: bibliotecárias, professoras, enfermeiras, nutricionistas, assistentes sociais, profissionais autônomas e estudantes de Engenharia e Arquitetura. Não é necessário ter uma formação superior para ser uma voluntária, mas são necessárias pessoas motivadas e com bom coração.                                          

Como é o projeto Biblioteca de Taipa?

O projeto visa construir uma biblioteca comunitária com técnicas de bioconstrução e permacultura, visto que a maioria dos moradores da comunidade já utiliza barro e taipa para a construção de suas casas e assim, ensina-los técnicas de melhoramento que possam ser empregadas nas suas próprias casas. A biblioteca de Taipa pretender fomentar o gosto pela leitura e transformar vidas através dos livros, sendo assim um meio empoderador para as crianças e jovens do sertão piauiense.

Conte-nos como era/é a Escola Municipal Nossa Senhora da Conceição.

Em maio de 2014, em nossa primeira visita à escola nos deparamos com uma situação de total desamparo e pobreza, uma escola estruturalmente precária que parecia não se sustentar em pé, carteiras quebradas e velhas, o piso de chão batido, paredes de barro e taipa, telhado de palha, o quadro de acrílico muito velho estava rachado bem no centro, dois filtros de barro faziam, às vezes, de bebedouro, havia ali duas salas de aula onde os alunos de diversas idades estudavam em classes multiseriadas. A Escola Municipal Nossa Senhora da Conceição foi fundada a mais de 15 anos pelos próprios moradores para suprir a falta de uma escola na localidade Sambaíba. Trabalham duas professoras que se dividem em ensinar as mais diversas disciplinas para os 63 alunos, com idades entre 03 e 12 anos.

Li em uma reportagem de 2014, que 40% da população da cidade de Miguel Alves, interior do Piauí, era analfabeta. Essa situação mudou ou permanece igual? Como é o ensino na cidade? A cidade possui bibliotecas pública, comunitária e/ou escolar?

Observa-se que a maioria dos alunos tem dificuldade na leitura e na escrita. Acreditamos que, devido à precariedade no ensino que atualmente é multisseriado, onde várias crianças de diversas idades e níveis educacionais são instruídos pelo mesmo professor na mesma sala de aula. No município de Miguel Alves, há uma séria deficiência no quesito educação, além da falta de estrutura das escolas, professores sofrem com a falta de pagamento desde 2015, acarretando greves constantes da classe. Essa situação não parece ter melhorado em nenhum aspecto. Há a biblioteca municipal no centro de Miguel Alves, mas desconhecemos a existência de bibliotecas escolares.

Como são as ações que vocês têm feito desde o início do projeto?

Nossas ações visam empodeirar a comunidade rural Sambaíba. Sempre promovemos ações com focos educativos e culturais, como: oficinas de leitura e pintura e palestras sobre violência doméstica para os pais. Também já realizamos ações que visavam arrecadar material escolar e merenda escolar. Nossas ações têm o objetivo principal de dar visibilidade à realidade vivida pelas crianças da comunidade e assim chamar a atenção e pressionar a administração pública para a melhoria da comunidade. Nossa missão é dar voz ao povo.

Vi no facebook do Grupo Lumens que vocês receberam doações de alimentos da Biblioteca Comunitária Jornalista Carlos Castello Branco (BCCB) através da Universidade Federal do Piauí (UFPI). Há alguma parceria com a instituição? Se não há, já pensaram em algum projeto de extensão com a UFPI, com cursos de Pedagogia, Letras, Biblioteconomia, Serviço Social, entre outros?

Fomos escolhidos pela BCCB para receber os alimentos arrecadados pela Campanha Troca Solidária, idealizada pela própria Biblioteca em que consistia na troca de livros por alimentos. Foram mais de 250 kg de alimentos doados entregues as famílias da comunidade Sambaíba na ação de NATAL-2014. Já participamos de eventos na Universidade Estadual do Piauí (UESPI), apresentando o Projeto Biblioteca de Taipa, mas nunca surgiu a ideia de um projeto de extensão, quem sabe no futuro? Seria uma alegria para nós receber estudantes de Biblioteconomia (e outras áreas também) engajados socialmente. Clamamos por uma Biblioteconomia mais humana.

Através do facebook, vi que vocês estavam convocando pessoas para serem voluntárias. Como as pessoas de outras cidades ou estados podem estar contribuindo para o projeto?

Desejamos muito que nosso projeto inspire outras pessoas a levantar as mangas e lutar para que crianças e jovens possam ter acesso a informações de qualidade. Nós, do Grupo Lumens, recebemos doações de livros e donativos para que possamos comprar os móveis e publicações.

Vocês já notaram diferença na comunidade, nas crianças e nos seus pais, após o início do projeto, com a reforma da escola e a idealização da biblioteca para a comunidade rural?

Disseram-nos que as crianças estavam pedindo para os pais as matriculassem na escola. Os moradores estão muito empolgados com a construção da biblioteca, acreditamos que esse projeto irá fazer toda a diferença para Sambaíba. Acontece é que eles sabem que algo bom irá acontecer: uma biblioteca, e devemos reiterar que a maioria nunca entrou em uma.

Para vocês, o que representa o livro?

O Livro é uma chave para a porta de uma vida melhor. Queremos dar essa chave para cada criança para que ela cresça consciente de seu papel no mundo, para que seja uma pessoa crítica e que sonhe alto. O livro dará a essas crianças a oportunidade que seus pais não tiveram, a oportunidade de um futuro brilhante.

Um fato marcante para o Grupo Lumens

Foram tantos… difícil escolher um só. Acho que nossa primeira ação foi muito marcante, foi na páscoa e levamos ovos de chocolate para todos. Uma menininha levantou instintivamente o ovo que acabara de ganhar e ficou com os olhos fechados como se tivesse fazendo uma oração. Uma voluntária fotografou o momento exato e depois perguntou o porquê dela estar fazendo aquilo e a menina respondeu que estava agradecendo a Deus, pois nunca tinha ganhado um ovo de páscoa.

Algo mais a dizer? Se houver, conte-nos mais…

O Lumens não é (ainda) uma Organização Não Governamental (ONG), somos um grupo de amigas que se uniram para fazer o bem, assim como nós, você, aí na sua cidade, também pode fazer… pode parecer ser apenas uma gota no meio do oceano, mas acredite sem essa gotinha o oceano seria menor. Convido a todos da Revista Biblioo para vir conhecer nossa Biblioteca de Taipa, serão muito bem vindos.

Serviço:

Para quem quiser entrar em contato com o Grupo Lumens, seguem abaixo as diversas formas:

Blog: www.grupolumens.blogspot.com.br

Facebook: facebook.com/grupolumensthe

Grupo aberto no Facebook: Grupo LUMENS

Instagram: instagram.com/grupolumens   – @grupolumens

Email: lumensgrupo@gmail.com

Cursos online de qualificação em Biblioteconomia e Ciência da Informação. Acesse!

Comentários

Comentários

Postagem anterior

Derradeiro amor

Próximo post

Contradições na Cultura

Sem comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *