0
Compartilhamentos
Redefinição de Impressão Google+

biblioteca_cid_carvalho_em_petrolina_pe

Biblioteca Cid Carvalho em Petrolina, PE (Foto: Juliane Peixinho/G1)

Por Amanda Franco do G1 Petrolina

Quem precisa frequentar a Biblioteca Municipal Cid Carvalho em Petrolina, no Sertão pernambucano, tem que enfrentar além da pressão dos assuntos a serem estudados, a precariedade que o local oferece. Entre as reclamações está a falta de climatização, condições das paredes e do teto, até a desatualização do acervo.

A estudante Jamily Azevedo é concurseira e vai diariamente à biblioteca municipal. Ela conta que prefere sair de casa no horário da manhã, pois no período da tarde estudar naquele espaço público é quase impossível por causa das altas temperaturas.

“O calor é insuportável. Principalmente a gente que tem que treinar para o Enem. Eu venho bastante para cá, só que estudar à tarde aqui é insuportável. Não tem ventilador e a ventilação depende só das janelas”, contou a estudante.

Além da ventilação, precária estão as condições da estrutura física. Paredes apresentam rachaduras, algumas luminárias também apresentam problemas e estão cheias de teias de aranha. Os frequentadores reclamam também que os banheiros nem sempre funcionam e estão bastante pixados.

O estudante, Lucas Melo, também está constantemente na Biblioteca Municipal de Petrolina e destaca que dela apenas o silêncio pode ser bem aproveitado. Já os livros, que são os objetos mais importantes de uma biblioteca, não estão em boas condições de serem usados.

“A maioria dos livros você abre e fica uma parte soltando. Ou está sem capa ou está todo rabiscado. Eu trago os meus de casa, mas quando preciso a maioria está desgastada”, disse Lucas.

A Biblioteca Municipal foi inaugurada há 13 anos e desde então nunca passou por uma reforma. De acordo com o secretário executivo de Cultura de Petrolina, Ozenir Luciano, uma equipe da secretaria de educação já esteve no local para fazer o levantamento das necessidades da biblioteca para uma reforma.

“Nós já fizemos o levantamento da estrutura elétrica, hidráulica do paviflex do piso, das placas do teto e de refrigeração para poder melhorar o ambiente da nossa biblioteca, que precisa, de fato há mais de uma década, de uma reforma e que já está prevista para o orçamento 2016”, ressaltou Ozenir.

Apesar do levantamento, a Prefeitura de Petrolina, informou ainda não foi aberta a licitação da reforma do local e que foi feita apenas a tomada de preço. A obra tem valor estimado é de R$126.131,18.

Cursos online de qualificação em Biblioteconomia e Ciência da Informação. Acesse!

Comentários

Comentários

Postagem anterior

Obra resgata um dos documentos que fundou o feminismo

Próximo post

Poetisa de 12 anos publica segundo livro e já planeja trilogia

Sem comentários

Deixe uma resposta