Autor do Arquivo

Ricardo Queiroz

mm

Formado em Biblioteconomia e Documentação (FESPSP - 1994), mestre em Ciência da Informação (ECA - USP, 2016), atua em biblioteca pública há 25 anos (gestão , atendimento, mediação de leitura).

Um mundo no qual os meninos prodígios do Intercept se juntam ao Rodrigo Constantino para equiparar o comunismo ao nazismo está de cabeça para baixo ou é o resultado da tal polarização?

É bom lembrar que todos os nomes que aceitaram cargos de ministro e/ou secretário da Cultura, a partir do fim do MinC em 2016, foram co-autores da sua destruição

É a poesia, a música e os compositores que jamais morrerão que nos concedem o contraponto nesse mundo dos horrores das ditaduras, das censuras, das noites longas em que vivemos

Se posicionar com relação à indicação de Bishop, significa não deixar de ler seu trabalho, mas lê-lo com todas as letras

Primeiro você atrela o voto à alfabetização, logo em seguida  veta o acesso à educação gratuita. Direitos políticos e educacionais tornam-se excludentes

Lamento que muito de nós concorra para que isso se estabeleça como verdade. Mas espero que acordem antes que se percebam atando o nó no próprio pescoço

A música, a nossa história, os compositores e as histórias nossas com eles

Às vésperas do quarto aniversario do Plano Municipal do Livro, Leitura, Literatura e Biblioteca, São Paulo segue aguardando a sua restauração e a eleição aberta e direta do seu Conselho

Para o bibliotecário Ricardo Queiroz, não existem ilhas de excelência, tampouco espaços protegidos e isentos diante do obscurantismo

O cantor e compositor, de 88 anos, considerado o pai da Bossa Nova, morreu ontem (6) no Rio de Janeiro