1
Compartilhamentos
Redefinição de Impressão Google+

Em uma tarde agradável na Biblioteca Parque Estadual do Rio de Janeiro, após participar de uma mesa de debate do Fórum do Plano Municipal do Livro e da Leitura do Rio, Affonso Romano de Sant’Anna conversou com a Revista Biblioo. Natural de Belo Horizonte, MG, o poeta e escritor têm mais de 40 livros publicados, foi professor em diversas universidades brasileiras e como jornalista trabalhou nos principais jornais e revistas do país. Nesta entrevista, Affonso Romano falou de sua experiência como presidente da Biblioteca Nacional entre os anos de 1990 e 1996, das iniciativas que criou nesse período como o Programa Nacional de Incentivo à Leitura (Proler), destacou a importância de dessacralizar a ideia de biblioteca, analisou a conjuntura política do país e da crise que atinge o mercado editorial brasileiro.

Como você avalia a criação do Plano Municipal do Livro e Leitura do Rio de Janeiro?

Tenho tido algumas informações a respeito e é uma medida a mais das centenas de medidas que têm sido tomadas recentemente. O importante é que as pessoas tenham em mente que os planos morrem quando falece a pessoa que o idealizou e outras pessoas vão surgir com outros planos e vão tocar para frente o mesmo projeto. O importante é que a leitura continue.

Leia o texto completo na edição 56 da Revista Biblioo. Clique aqui e adquira em nossa loja virtual.

Cursos online de qualificação em Biblioteconomia e Ciência da Informação. Acesse!

Comentários

Comentários

Postagem anterior

A era dos smartphones: o bom e ruim dessa geração

Próximo post

Edição 56

Sem comentários

Deixe uma resposta