0
Compartilhamentos
Redefinição de Impressão Google+

Estão abertas, até o dia 22 de julho, as inscrições para a segunda edição do Prêmio Oliveira Silveira, que contempla obras literárias do gênero ficção voltadas para o público infanto-juvenil. Com o edital, a Fundação Cultural Palmares (FCP) pretende valorizar autores que abordem a temática afro-brasileira.

Ao todo, serão premiadas cinco obras, cujos autores receberão R$ 30 mil cada. Para concorrer, os escritores devem ter agregado às narrativas fatos históricos sobre a história do negro no Brasil ou tratar de questões que tenham relação com a população negra, como racismo e exclusão social. Os autores poderão ainda fazer alusão a manifestações culturais afro-brasileiras.

Projeção

Carolina Santos Petitinga, coordenadora-geral substituta do Centro Nacional de Informação e Referência da Cultura Negra da FCP, ressalta que a instituição aspira à projeção. Ela conta que Eliana Alves dos Santos Cruz, uma das vencedoras da primeira edição do prêmio, chegou a receber uma proposta para transformar seu romance, Água de Barrela, em um seriado de televisão. A obra resgatou aspectos da família da autora, que teria associação com um poderoso núcleo do recôncavo açucareiro baiano.

Segundo Carolina, a premiação faz com que as obras vencedoras circulem em eventos do meio, como a Festa Literária Internacional de Paraty (Flip) e a Bienal Internacional do Livro do Ceará. O plano, conta, é ir cada vez mais longe e apresentá-los diretamente ao exterior. “Vamos publicar com tiragem alta, acima de 6 mil exemplares. A gente pretende dar ênfase também a feiras internacionais e um dos projetos é que tenha os livros traduzidos para alguns idiomas.”

A coordenadora diz que já há, atualmente, motivos para se comemorar as conquistas de negros no mercado editorial e na indústria do livro. A análise dela é que a cultura afro-brasileira sofre preterições e que os triunfos têm derivado de gestos de resistência. “A gente tem que estar, o tempo todo, lutando por espaço e parcerias”, argumenta.

“Esse edital dá muito orgulho, pois há uma lacuna grande nessa temática. Porém, também já há muitas editoras com o olhar voltado para escritores africanos e afrodescendentes”, finaliza.

Edital

O edital do prêmio pode ser consultado no site da FCP. A participação dos autores é gratuita.

Cursos online de qualificação em Biblioteconomia e Ciência da Informação. Acesse!

Comentários

Comentários

Postagem anterior

Uma leitora de Euclides, muitas leituras euclidianas

Próximo post

Despejada, Secretaria de Cultura do RJ ocupa parte de Biblioteca-Parque