5
Compartilhamentos
Redefinição de Impressão Google+

A cidade de São Gonçalo é o segundo maior colégio eleitoral do Rio de Janeiro. Segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o município Gonçalense conta com uma população em torno de 1.077.687 pessoas.  Mesmo sendo um município tão populoso, a cidade conta apenas com uma biblioteca pública, que estava localizada no Centro Cultural Joaquim Lavoura, na Avenida Presidente Kennedy, 721, no bairro Estrela do Norte. Esse importante espaço cultural da região se encontra fechado e um aviso datado de março de 2019 fixado na porta informava para quem procurava utilizar os serviços da biblioteca: “biblioteca municipal temporariamente fechada”.

Inaugurada em 1942, a Biblioteca Municipal de São Gonçalo funcionava dentro do Centro Cultural Lavourão desde 1988. Disponibilizava um acervo com mais de 20 mil livros, atendia a população de uma forma em geral, servia como fonte de pesquisa e estudos para os 122.507 alunos matriculados nos ensinos fundamental e médio da rede municipal.

Em nota publicada no site da Prefeitura de São Gonçalo, Marcelo Azeredo, atual secretário de educação, afirmou que o fechamento é provisório em virtude da existência de uma nova sede para a Secretaria Municipal de Educação, localizada no bairro do Alcântara. “A biblioteca não está extinta, nós sabemos de sua importância para o município. Nós vamos reinstalá-la em um local bem equipado, bem reformado”, explicou o secretário. A previsão é que a nova biblioteca esteja pronta para atender ao público no início de agosto de 2019.

O discurso é sempre o mesmo. Quando se tratam de promessas acerca da criação e de reformas das bibliotecas públicas no Rio de Janeiro a realidade não é nada promissora. No âmbito estadual o ex-governador, Luiz Fernando Pezão, provou diversas vezes o desprezo pelas bibliotecas, utilizando-as de forma burocrática e aproveitadora. Uma vez que em meio à crise das bibliotecas-parque chegou a garantir que iria expandir o projeto para o município de São Gonçalo, com a criação de uma biblioteca-parque na Fazenda Colubandê, que até agora não saiu do papel e muito menos do discurso eleitoreiro.

O vereador Professor Paulo (PCdoB) preside a Comissão Permanente de Educação da Câmara Municipal de São Gonçalo. Em depoimento à Biblioo, o parlamentar lamentou o fechamento da biblioteca e destacou a necessidade da construção de uma nova biblioteca para depois realizar a transferência do acervo. “É inadmissível que um município do tamanho de São Gonçalo esteja sem sua biblioteca funcionando desde março.  Acredito que em primeiro lugar deveriam ter construído uma nova biblioteca para depois transferir o acervo de mais de 20 mil livros”, comentou o vereador.

A realidade da biblioteca e projetos de leitura da região não é animadora

O abandono dos espaços de cultura de São Gonçalo foi pauta de reportagem da Biblioo. Em março de 2018 acompanhamos o abandono da Lona Cultural Lídia Maria da Silva, localizada no bairro do Jardim Catarina, que ficou fechada por mais de dois anos, sendo reformada e reaberta ao público em maio de 2019.

Quando se trata de projetos de leitura em São Gonçalo a realidade não é nada animadora, em 2017, o Projeto Mais Leitura encerrou suas atividades no município depois de funcionar por menos de um ano. O Mais Leitura é um projeto desenvolvido pela Imprensa Oficial do Rio de Janeiro e consiste na vendas de livros com preços mais acessíveis que variam de R$ 2 a R$ 9. O projeto foi inaugurado no Centro de São Gonçalo, em julho de 2016, depois de uma parceria entre a Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico, Ciência e Tecnologia e a Imprensa Oficial.

Stand do Projeto Mais Leitura na Bienal do Livro do Rio. Foto: Rodolfo Targino / Agência Biblioo

O município Gonçalense também foi alvo da Comissão de Fiscalização do Conselho Regional de Biblioteconomia da 7ª Região (CRB-7), em dezembro de 2018. Durante a visita foi constatado que a Biblioteca Municipal de São Gonçalo estava funcionando sem bibliotecário, uma auxiliar administrativa atuava como bibliotecária. O resultado da fiscalização foi a geração de um auto de infração à Secretaria Municipal de Educação, órgão no qual a biblioteca está subordinada.

Antes dessa visita, o CRB-7 já tinha enviado Ofícios de fiscalização preventiva cobrando as Secretarias Municipais de Educação e Cultura acerca do cumprimento da Lei 12.244/2010, que prevê a universalização das bibliotecas escolares. Até o momento o CRB-7 não recebeu nenhum retorno acerca da administração municipal de São Gonçalo. “Não podemos esquecer que São Gonçalo é o segundo município mais populoso do estado do Rio de Janeiro, com mais de um milhão de habitantes, já sendo vergonhoso que o município tivesse apenas um equipamento de tal natureza, sendo o fechamento inadmissível”, comentou Marcelo Marques de Oliveira, presidente do CRB-7, em nota de repúdio emitida pelo conselho no dia 06 de junho de 2019.

A situação da biblioteca também já foi tema pautado nas reuniões da Comissão de Educação da Câmara Municipal. O vereador Professor Paulo não descarta a ideia de a realização de uma audiência pública e destaca a importância da criação de indicações legislativas em prol das bibliotecas escolares do município Gonçalense. “A questão da biblioteca já foi tema pautado nas reuniões da Comissão de Educação e é um assunto pertinente. A realização de uma audiência pública não está descartada, eu fui pessoalmente à busca desses livros e vamos elaborar uma indicação legislativa para que toda escola do município tenha sua biblioteca”, declarou o parlamentar.

Professor Paulo preside a Comissão Permanente de Educação da Câmara Municipal de São Gonçalo. Foto: Assessoria

Eleição para o Conselho de Cultura de São Gonçalo

Além das ações implementadas pelo CRB-7 e pela Comissão Permanente de Educação, outra ferramenta importante para o debate e defesa das pautas relacionadas às áreas do livro, leitura, bibliotecas e que pode contar com a participação da sociedade civil, da classe bibliotecária e das universidades públicas é a eleição para o biênio 2019/2021 do Conselho Municipal de Cultura de São Gonçalo. O referido conselho será composto por 16 membros titulares e seus respectivos suplentes, dentre eles 1 titular das universidades públicas e suplente; 5 titulares da classe artística e movimentos culturais autônomos e suplentes; 2 titulares de outras entidades da sociedade civil, não estritamente culturais e suplentes.

Para participar basta seguir as orientações publicadas no edital de convocação, preencher a ficha e entregar no local indicado, explica Carlos Ney Ribeiro, secretário municipal de Turismo e Cultura em nota no site da prefeitura de São Gonçalo. O Fórum eleitoral será realizado no dia 26 de julho, das 17h às 22h, no Centro Cultural Joaquim Lavoura, local onde funcionava a Biblioteca Municipal de São Gonçalo.

Estudantes lamentam o fechamento da biblioteca

Desde 2017, os alunos do Colégio Estadual Francisco de Paula Achilles, localizado no bairro do Anaia se preocupavam com a situação da biblioteca. Através do Grêmio Estudantil, os estudantes enviaram um ofício ao então secretário de Educação da época, José Augusto Abreu, solicitando a ampliação do espaço da biblioteca, conforme noticiou o Jornal O São Gonçalo. No documento os alunos alegaram que a biblioteca era um espaço pequeno e que deveria ser ampliada para atender a população local, e, além disso, salvaguardar a memória da cidade. Dois anos depois a prefeitura ao invés de atender a solicitação dos estudantes, fechou a biblioteca.

Karen Ianino estudou no Colégio Estadual Doutor Adino Xavier, no bairro do Mutondo, em São Gonçalo, e, utilizava os serviços da Biblioteca Municipal de São Gonçalo para estudar, fazer pesquisas e trabalhos. É péssimo ter a biblioteca fechada. Por mais que hoje tenhamos avançado no acesso à informação, as bibliotecas são instrumentos importantes para o fomento da leitura”, lamenta Karen que atualmente é professora de Português e frequenta bibliotecas para ler e participar de eventos promovidos pelas mesmas.

Cursos online de qualificação em Biblioteconomia e Ciência da Informação. Acesse!

Comentários

Comentários

Postagem anterior

CCJ aprova proteção para funcionários de bibliotecas e museus

Próximo post

“Elisa Y Marcela”, retrato histórico de um amor sem fronteiras

1 Comentário

  1. […] Leia mais. […]