0
Compartilhamentos
Redefinição de Impressão Google+

Eu já tinha ouvido falar de Katherine Mansfield (a única escritora que Virginia Woolf declarou “invejar”) e fiquei com uma espécie de “desejo ardente” pulsando ao saber que ela trabalhava de forma fantástica a trivialidade transcendente do cotidiano, expressa em histórias curtas e cobertas pelo véu da sutileza.

Em uma rápida pesquisa, descobri que Katherine Mansfield nasceu em 1888, era violoncelista e viveu um vai-e-vem entre Inglaterra e Nova Zelândia. Seu interesse pela literatura foi ganhando alma aos poucos, reforçado pelas amizades no meio literário e pela própria vivência.

As coisas não foram fáceis para a jovem escritora: divorciada, enviada à Alemanha para ter um filho considerado “ilegítimo” (nascido fora do casamento), sofreu a perda do bebê, contraiu gonorreia e enfrentou a opressão social e familiar. Depois de anos de resistência, a escritora levou outros golpes dolorosos: a morte do irmão, seguida de uma depressão profunda e o padecimento por tuberculose.

Para além dos infortúnios, Mansfield deixa uma escrita afiadíssima. Em “Cinco Contos” (editora Paz e Terra, 1996, págs. 96), estancamos com a dramática vida de “Senhorita Brill”, uma mulher de hábitos repetitivos, supostamente feliz com a rotina, mas que se abala ao ser vítima de sua própria prática.

Há também o final surpreendente de uma narrativa sem ação em “Tomada de Hábito” e a belíssima emoção de “A vida de Mãe Parker”; este último, um conto sobre abnegação, dores silenciosas e esquecimento (um dos meus preferidos). A visão puramente amorosa dos relacionamentos é questionada em “A fuga” e no genial “Je ne parle pas français” (Eu não falo francês), desmembrando os mitos em torno do amor e suas promessas feitas de açúcar.

Não é à toa que a sutileza de Katherine Mansfield tenha provocado reações de admiração e inspiração em escritoras importantes (como a já citada Virginia Woolf e Clarice Lispector). Seu traço cheio de detalhes observadores desnuda a introspecção, contando as narrativas das sombras, ou seja, “as histórias por trás das histórias”.

Sobre o livro

Título: Cinco Contos

Autora: Katherine Mansfield

Editora: Paz e Terra

Ano: 2002

Idioma: Português

Cursos online de qualificação em Biblioteconomia e Ciência da Informação. Acesse!

Comentários

Comentários

Postagem anterior

“Existe um interesse crescente na biblioteconomia pela questão LGBT”

Próximo post

CBBU/FEBAB faz recomendações sobre reabertura de bibliotecas universitárias