2
Compartilhamentos
Redefinição de Impressão Google+

 

Os três pavilhões do Riocentro estão repletos delas. Riem fácil, saltitam, cantam, brincam e… lêem. Sim, a Bienal é um verdadeiro parque de diversões para a gurizada que, indo com os professores ou com os pais, procura nos livros o mergulho na imaginação. As editoras sabem que o público infantojuvenil tem peso na escolha, e tentam a qualquer custo chamar a atenção desses leitores. Boa parte dos estandes apresenta não apenas livros, mas outros atrativos como contadores de histórias, bonecos, fantoches, brinquedos, etc.

A infinidade de títulos pode deixar as crianças loucas e seus pais confusos. Afinal, é preciso escolher bem. Pensando nisso, fiz um passeio pela Bienal e escolhi dez livros interessantes, não apenas por serem boa literatura, mas por contarem com um projeto visual diferenciado. Lembre-se que um livro infantil pode ser o primeiro contato do seu filho com a arte. Segue a lista dos dez livros:

1. Quem nunca ouviu a frase “ser ou não ser, eis a questão”? Trata-se da frase mais famosa da literatura mundial, que faz parte de “HAMLET”, peça de Shakespeare. Pois a DCL (pavilhão laranja) acabou de lançar uma versão da peça em quadrinhos. R$ 29,00.

2. Poesia é sempre uma ponte para o jogo. E quando se trata de poesia concreta, pode esperar surpresas. O livro “Vendo poesia”, do Leo Cunha, da FTD (pavilhão azul) é composto de paginas pretas e brancas, contendo palavras que formam imagens, frases que vão formando jogos, seduzindo, sugerindo sentido. Há poemas em forma de HQ, em forma de lua, em forma de pêndulos, numa linguagem cheia de provocação e humor. R$ 28,00.

3. Para os leitores críticos, sugiro uma bela adaptação de “Os sertões”, de Euclides da Cunha, que trata da campanha de Canudos. As ilustrações do Andrés Sandoval dão ao livro e à narrativa uma característica singular. Editora ATICA, pavilhão azul, R$ 37,90.

4. No estande da Melhoramentos, pavilhão azul, há um lançamento bem brasileiro. É o livro “Colcha de retalhos”, do cearense Moreira de Acopiara e xilogravuras de Erivaldo Ferreira. O estande apresenta uma mini-exposição com as xilos originais usadas nas ilustrações. A narrativa em cordel, conta a história da mãe que passou quinze anos cosendo uma colcha para ser presente de casamento da filha. R$ 34,00.

5. Mais poesia. A Cia das Letrinhas, pavilhão azul, apresenta o livro “Bicho de sete cabeças e outros seres fantásticos”, do poeta Eucanaã Ferraz. Os poemas apresentam bichos do mundo inteiro, bichos reais e inventados; bichos do imaginário popular, mitológicos, do folclore. A linguagem é sensível e bem humorada. Destaque para as ilustrações de André da Loba, que fez pequenas esculturas-brinquedos com papelão, rolhas, tinta, arame e muita criatividade. É para ler e depois tentar produzir seus bichos. R$ 36,50.

6. Uma obra de arte feita à mão. A editora Global, pavilhão verde, traz ao Brasil um livro indiano impresso em silk-screen com acabamento à mão.No livro “Faça como os Warli”, as imagens foram impressas em papel reciclado, imitando paredes de barro das casas da tribo indiana Warli. O texto é simples: apenas verbos de ação, cercados por imagens que se assemelham a pictogramas, numa só cor. Os desenhos são leves, fluidos, cheios de vida e certamente vão cativar pais e filhos, que podem narrar a partir das imagens, usando e abusando da criatividade. R$ 59,00.

7. O livro “Trocando uma ideia”, da editora Brinque-book, pavilhão verde, é daqueles livros que trazem fábulas, histórias de animais. São fábulas modernas, de um autor holandês chamado Geert De Kockere que ensina a pensar filosoficamente com essas histórias. Em Cada fábula, dois animais dialogam e travam, assim, discussões mais variadas sobre a vida. R$ 36,00.

8. O romance juvenil “O livro de todas as coisas” é daquelas narrativas que cativam qualquer leitor. Trata-se da história de Thomas, que vê coisas que ninguém vê: peixes exóticos nadando no canal da cidade, a beleza numa mulher com perna postiça, a magia de uma bruxa; toda vez que seu pai bate na sua mãe, o menino vê anjos chorando. O que o menino quer ser quando crescer? Feliz. O livro é do holandês Guug Kuijer, editado no Brasil pela Martins Fontes, pavilhão verde. R$ 24,00.

9. O livro “Morro de Favela”, de André Diniz, editora Leya, pavilhão azul, é um relato de como é a vida nos morros cariocas, do ponto de vista de um morador. Um relato surpreendente em grafic novel. R$ 39,90.

10. A Cosac Naif, pavilhão verde, é uma editora que se destaca no país por apresentar livros sempre com projetos inovadores. Cada livro é uma obra de arte. O livro “Imitabichos” tem uma história interessante. É o trabalho do poeta e dramaturgo russo Serguei Tretiakóv que, vendo os filhos brincando de imitar bichos, fez nove poemas divertidos sobre o tema. O amigo do autor, Aleksander Rodtchenco e sua esposa construíram maquetes de papel cujas cenas apresentam crianças e bichos. Iluminadas, as pequenas maquetes parecem ganhar movimento. Escrito em 1926, o livro nunca foi publicado no país do autor.  O livro ainda inclui um encarte com moldes e instruções para montar figuras de papel. R$ 49,00.

Cursos online de qualificação em Biblioteconomia e Ciência da Informação. Acesse!

Comentários

Comentários

Postagem anterior

Programação da fundação Biblioteca Nacional na Bienal

Próximo post

O universo infantojuvenil na XV Bienal do Livro

Sem comentários

Deixe uma resposta