0
Compartilhamentos
Redefinição de Impressão Google+

A contribuição é modesta, mas importante. Com este espírito, realizamos ontem o I Seminário Diálogos Biblioo, cuja temática versava sobre a lei das bibliotecas escolares (Lei 12.244/2010), buscando avaliar seus cinco anos de validade.

Nos honraram com suas contribuições as professoras Bernadete Campello, da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), e Daniela Spudeit, da Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UNIRIO).

Bernadete Campello
Bernadete Campello

Valorosa cooperação ao debate também foi dada pela professora Vivian Fraga, cuja luta em favor da biblioteca, dos livros e da leitura tem nos inspirado.

Vivian Fraga
Vivian Fraga

Da bibliotecária Márcia Feijão tivemos o importante apoio não só às discussões realizadas, mas à própria organização do evento.

Márcia Feijão
Márcia Feijão

Da Europa nos veio a estimável colaboração do professor Gunter Schlamp, conselheiro das Secretarias de Educação nos estados alemães de Hessem e Berlim-Brandenburgo e membro do Grupo de Estudos sobre Bibliotecas Escolares, além de Manuela Pargana, coordenadora nacional da Rede de Bibliotecas Escolares de Portugal.

Mesmo impossibilitados de participarem presencialmente, os parlamentares do Rio deram suas contribuições: o deputado estadual Waldek Carneiro (PT/RJ), autor do livro “Miséria da biblioteca escolar”, e o vereador Babá, autor de um projeto de lei que visa instituir uma rede de bibliotecas no município do Rio.

Por fim, mas não menos importante, registramos a contribuição do Conselho Regional de Biblioteconomia da sétima região (CRB7), na figura de seu presidente, professor Marcos Miranda.

Marcos Miranda
Marcos Miranda

Numa tarde gelada no Rio, valorosos colegas se dispuseram a participar do evento, no que dispensamos toda nossa gratidão. Que outros “diálogos” sejam possíveis!

Clique aqui e confira as fotos do evento.

Cursos online de qualificação em Biblioteconomia e Ciência da Informação. Acesse!

Comentários

Comentários

Postagem anterior

O bibliotecário é mesmo procurado com lupa?

Próximo post

O que é o Cururu e Siriri?

1 Comentário

  1. Paulo César do Prado
    29 de junho de 2015 a 14:53 — Responder

    Paulo César do Prado, aluno do 3º período do curso de biblioteconomia e gestão de unidades de informação pela UFRJ-PV, participai do I Seminário Diálogos Biblioo que discutiu a aplicação da Lei de Bibliotecas Escolares. Nesse Seminário pude perceber a preocupação dos profissionais da área da educação – bibliotecários e professores -, com a questão da implementação da Lei 12444/10 nas escolas e o quadro apresentado pelo Presidente do CRB/7 acerca do número de escolas, de bibliotecas escolares e de bibliotecários no Estado do Rio de Janeiro, sobretudo no que diz respeito ao que foi feito nos últimos 5 anos e o que deverá, ou pelo menos deveria, ser feito ao longo dos próximos 5 anos. Prazo este determinado pela referida Lei para o cumprimento de instalação de bibliotecas em todas as bibliotecas escolares e um bibliotecário em cada uma delas. O fato é que não houve avanço nesses últimos 5 anos e medidas deverão ser tomadas para que não seja mais uma "lei para inglês ver", ficando apenas na esfera da formalidade, sob pena de transforma-se em mais uma "lei morta", e os cidadãos, mais uma vez, terem seus direitos civis e fundamentais tolhidos por incompetências político-administrativas por parte dos nossos "representantes do executivo".

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *