3
Compartilhamentos
Redefinição de Impressão Google+

No dia 1º de maio comemora-se o dia do trabalhador, um dia de luta e de reflexão sobre a importância destes e dos direitos da classe que mantém toda a estrutura social. Tais direitos foram conquistados com o esforço de muitos e luta dos antepassados há décadas. Infelizmente, estamos vivendo num período em que os direitos dos trabalhadores estão sofrendo grandes ataques em vários países do mundo inclusive no Brasil com as Reformas da Previdência, Trabalhista e da Terceirização Irrestrita. A seguir, destaco dez fatos marcantes que afetaram muitos de nós diretamente. São eles:

  1. Funcionários da Biblioteca Nacional (RJ) sofrem com calor no verão de 2017 e a reforma no prédio continua;

  1. Gestão do prefeito Doria (SP) quer privatizar o maior sistema de bibliotecas públicas da América Latina;

  1. Biblioteca Mário de Andrade (SP) deixa de funcionar 24h;

  1. Maior roubo de livros raros aconteceu na UFRJ;

  1. Bibliotecários vão às ruas protestar no dia da greve geral contra a reforma da previdência;

  1. Bibliotecária é uma das sete vítimas da truculenta polícia carioca nas manifestações;

  1. Bibliotecas Parque permanecem fechadas no estado do RJ;

  1. Livros mais caros em 2017 e aumento dos fretes de compras on-line;

  1. Brasil sofre uma escandalosa manipulação de informação pela mídia;

  1. Bibliotecas universitárias sentem impacto da crise financeira das universidades públicas.

Estamos vivendo um período difícil.  Como sabemos as bibliotecas nunca foram prioridade por nossos governantes nos momentos tranquilos economicamente quanto mais em crise financeira, política, ética e moral que assola o Brasil.

Precisamos ter força para continuar a luta diária oferecendo o melhor serviço para os nossos usuários mesmo que sejam com livros antiguinhos como também oferecer uma informação mais precisa e imparcial do que as que os telejornais passam.

Também é preciso mais do que nunca união da classe para lutar pela permanência de seus direitos conquistados e por melhores condições de trabalho para poder continuar oferecendo seus serviços à sociedade.

Temos que ter em mente que Informação é primeiro passo que leva ao Conhecimento e que Informação é Poder, pois não compete mais ao bibliotecário ser profissional de platéia e sim, atuar no espetáculo do grande teatro que é a vida.

Parabenizo a todos nós trabalhadores por nossas lutas nas mais diversas bibliotecas (públicas, escolares, comunitárias, universitárias e especializadas) e em centros de memória. Dedico a você a música que é considerada um hino de luta, Admirável Gado Novo (por Zé Ramalho, 1979) e com ela finalizo esta minha reflexão.

Vocês que fazem parte dessa massa
Que passa nos projetos do futuro
É duro tanto ter que caminhar
E dar muito mais do que receber…
E ter que demonstrar sua coragem
À margem do que possa parecer
E ver que toda essa engrenagem
Já sente a ferrugem lhe comer…

Êeeeeh! Oh! Oh!
Vida de gado
Povo marcado, Êh!
Povo feliz!…(2x)

Lá fora faz um tempo confortável
A vigilância cuida do normal
Os automóveis ouvem a notícia
Os homens a publicam no jornal…
E correm através da madrugada
A única velhice que chegou
Demoram-se na beira da estrada
E passam a contar o que sobrou…

Êeeeeh! Oh! Oh!
Vida de gado
Povo marcado, Êh!
Povo feliz!…(2x)

Oooooooooh! Oh! Oh!

O povo foge da ignorância
Apesar de viver tão perto dela
E sonham com melhores tempos idos
Contemplam essa vida numa cela…
Esperam nova possibilidade
De verem esse mundo se acabar
A Arca de Noé, o dirigível
Não voam nem se pode flutuar

Não voam nem se pode flutuar
Não voam nem se pode flutuar…

Êeeeeh! Oh! Oh!
Vida de gado
Povo marcado, Êh!
Povo feliz!…(2x)

Ooooooooooooooooh!

Cursos online de qualificação em Biblioteconomia e Ciência da Informação. Acesse!

Comments

comments

Postagem anterior

Títulos raros do acervo da Biblioteca Pública de Pernambuco estão sendo restaurados

Próximo post

“Vou registrar ocorrência e buscar os desdobramentos legais”, diz bibliotecária ferida por bala de borracha em manifestação no Rio